value1

Estatísticas de Internet e Mídias Sociais em 2018

Estatísticas de Internet e Mídias Sociais em 2018

Estatísticas de Internet e Mídias Sociais, este ano tem sido explosivo para o mundo da mídia social. Com todos os regulamentos on-line, as revoluções da hashtag no Twitter e os escândalos de privacidade no Facebook, a Internet ofereceu uma infinidade de dramas . Continue reading "Estatísticas de Internet e Mídias Sociais em 2018"

value1

Falha no Linux expõe usuários de Android

Falha no Linux expõe usuários de Android

Um grupo de pesquisadores encontrou uma falha no kernel do Linux, que deixa expostas as informações de mais de 1,4 bilhões pessoas. O bug afeta diretamente todas as versões do Android a partir da 4.4 (KitKat), incluindo até mesmo a versão mais nova do sistema, a 7.0 (Nougat). A brecha foi descrita como “severidade média” por ser difícil de explorar, mas perigosa para ataques direcionados. Continue reading "Falha no Linux expõe usuários de Android"

value1

Microsoft força upgrade de 6GB no Windows 10

Microsoft força upgrade de 6GB no Windows 10

Usuários estão acusando a Microsoft de baixar um arquivo de instalação do Windows 10 que pesa entre 3,5 GB e 6 GB, mesmo contra a vontade do dono da máquina. Além do download compulsório, o sistema indica a atualização para a nova versão sempre que o PC é ligado.

Continue reading "Microsoft força upgrade de 6GB no Windows 10"

value1

Antivírus no Linux – Configurando ClamAV

O Linux não é livre de pragas virtuais  e não é o sistema operacional 100% seguro como muitos pensam. O Linux pode se tornar sim um sistema muito seguro e robusto, mas como os outros sistemas operacionais tudo depende de como ele é configurado e utilizado. Se você utiliza o Linux como servidor e possui clientes Windows, é importante que você utilize um antivírus para detectar pragas nos clientes e assim possa remover ou fazer alguma espécie de bloqueio.

 

Trouxe para vocês o ClamAV, um antivírus antigo no mercado que está disponível para Linux. O ClamAV foi testado nas seguintes plataformas UNIX: GNU/Linux, Solaris, FreeBSD, OpenBSD, Mac OS X. Ele é indicado para rodar juntamente com algum servidor de e-mail também, basta você imaginar um ambiente e configurar de maneira certa para rodar ele. Você pode rodar o ClamAV com outras ferramentas que ele mesmo disponibiliza chamadas Third Party, vou utilizá-las no tutorial. O sistema usado será um Debian.

Instalando o ClamAV + Third Party:

# apt-get install clamav clamav-base clamav-daemon clamav-docs clamav-freshclam clamav-testfiles clamav-unofficial-sigs unzip unrar bzip2 cabextract p7zip arc

Vamos atualizar o banco de dados dos dois (Mantenha sempre atualizado):

# clamav-unofficial-sigs

# freshclam

# /etc/init.d/clamav-daemon start

# /etc/init.d/clamav-freshclam start

Você precisa mudar happy wheels o agendamento do cron para evitar entrar na blacklist, pois o Third só permite uma atualização por dia.

#nano /etc/cron.d/clamav-unofficial-sig

Deixe assim:

00 22 * * * root [ -x /usr/sbin/clamav-unofficial-sigs ] && /usr/sbin/clamav-unofficial-sigs

Assim ele vai fazer a atualização todos os dias às 10 horas da noite. Agora reinicie o cron para ativar as alterações.

# /etc/init.d/cron   restart

Depois de instalado e configurado você pode procurar como fazer varreduras específicas, mas de forma básica funciona assim:

-r <- Varre todos os sub-diretórios abaixo do que você definir

-i <- Mostra os arquivos infectados

–move= <- move os arquivos

–copy= <- copia os arquivos

–exclude-dir= <- retira algum diretório da varredura

Exemplos:

# clamscan -r -i /var/www

# clamscan -r -i /var/www –move=/clamav/quarentena

# clamscan -r -i /var/www –exclude-dir=/var/www/public_html

Podemos agora configurar para que o cron faça as varreduras e atualização:

# nano /etc/crontab

Adicione as linhas:

00  23  * * *     root     clamscan -r -i  /home  –move=/clamav/quarentena

30  22  * * *     root     freshclam

Reinicie o cron novamente:

# /etc/init.d/cron   restart

Segundo as definições, todos os dias o cron vai atualizar o banco às 22:30 e o scan vai ser feito às 23:00

Espero que tenham gostado do pequeno tutorial.

Visitem o Fórum: http://forum.securityattack.com.br/

fonte: http://securityattack.com.br/

value1

Entendendo a estrutura de diretórios do Linux

Você seguiu nosso tutorial de como escolher uma distro Linux ou de como instalar o Ubuntu em uma máquina virtual, sem precisar remover o Windows ou o OS X do seu computador. Mas bastaram alguns minutos usando o sistema para perceber algo muito curioso: não existe "C:/", "D:/" ou "System32", como no Windows. Em vez disso, os arquivos estão armazenados em pastas com nomes bem diferentes.

 

A boa notícia é que, apesar desse estranhamento inicial, a estrutura de diretórios do Linux é muito bem definida e, ao ler este artigo, você perceberá que ela está organizada em termos lógicos e que fazem muito sentido.

Para manter a organização, desenvolvedores de distribuições Linux e softwares diversos seguem o Filesystem Hierarchy Standard (padrão para sistema de arquivos hierárquico), ou FHS, uma espécie de referência que padroniza quais pastas do sistema recebem determinados tipos de arquivo.

Portanto, que tal iniciarmos nossa turnê pelos caminhos do sistema? Antes, vale lembrar que podem haver pequenas variações entre diferentes distros ou de acordo com o conteúdo instalado em seu computador.

Sistema de arquivos do Ubuntu Linux

O diretório raiz (/)

Todos os arquivos e diretórios do sistema Linux instalado no computador partem de uma única origem: o diretório raiz. Mesmo que estejam armazenados em outros dispositivos físicos, é a partir do diretório raiz – representado pela barra (/) – que você poderá acessá-los.

Também vale lembrar que o único usuário do sistema capaz de criar ou mover arquivos do diretório raiz é o root, ou seja, o usuário-administrador. Isso evita que usuários comuns cometam erros e acabem comprometendo a integridade de todo o sistema de arquivos.

Binários executáveis: /bin

No diretório /bin estão localizados os binários executáveis que podem ser utilizados por qualquer usuário do sistema. São comandos essenciais, usados para trabalhar com arquivos, textos e alguns recursos básicos de rede, como o cpmvping e grep. Se você ainda não conhece esses comandos, não se preocupe: falaremos sobre eles em um artigo futuro, aqui no Canaltech.

Binários do sistema: /sbin

Assim como o /bin, este diretório armazena executáveis, mas com um diferencial: são aplicativos utilizados por administradores de sistema com o propósito de realizar funções de manutenção e outras tarefas semelhantes. Entre os comandos disponíveis estão o ifconfig, para configurar e controlar interfaces de rede TCP/IP, e o fdisk, que permite particionar discos rígidos, por exemplo.

Programas diversos: /usr

Se você não encontrar um comando no diretório /bin ou /sbin, ele certamente está aqui. O /usr reúne executáveis, bibliotecas e até documentação de softwares usados pelos usuários ou administradores do sistema. Além disso, sempre que você compilar e instalar um programa a partir do código-fonte, ele será instalado nesse diretório.

Configurações do sistema: /etc

No diretório /etc ficam arquivos de configuração que podem ser usados por todos os softwares, além de scripts especiais para iniciar ou interromper módulos e programas diversos.  É no /etc que se encontra, por exemplo, o arquivo resolv.conf, com uma relação de servidores DNS que podem ser acessados pelo sistema, com os parâmetros necessários para isso.

Bibliotecas: /lib

Neste ponto do sistema de arquivos ficam localizadas as bibliotecas usadas pelos comandos presentes em /bin e /sbin. Normalmente, os arquivos de bibliotecas começam com os prefixos ld ou lib e possuem "extensão" so.

Opcionais: /opt

Aplicativos adicionais, que não são essenciais para o sistema, terminam neste diretório.

Aquivos pessoais: /home

No diretório /home ficam os arquivos pessoais, como documentos e fotografias, sempre dentro de pastas que levam o nome de cada usuário. Vale notar que o diretório pessoal do administrador não fica no mesmo local, e sim em /root.

Inicialização: /boot

Arquivos relacionados à inicialização do sistema, ou seja, o processo de boot do Linux, quando o computador é ligado, ficam em /boot.

Volumes e mídias: /mnt e /media

Para acessar os arquivos de um CD, pendrive ou disco rígido presente em outra máquina da rede, é necessário "montar" esse conteúdo no sistema de arquivos local, isso é, torná-lo acessível como se fosse apenas mais um diretório no sistema.

Em /media ficam montadas todas as mídias removíveis, como dispositivos USB e DVDs de dados. Já o diretório /mnt fica reservado aos administradores que precisam montar temporariamente um sistema de arquivos externo.

Serviços: /srv

Dados de servidores e serviços em execução no computador ficam armazenados dentro desse diretório.

Arquivos de dispositivos: /dev

No Linux, tudo é apresentado na forma de arquivos. Ao plugar um pendrive no computador, por exemplo, um arquivo será criado dentro do diretório /dev e ele servirá como interface para acessar ou gerenciar o drive USB. Nesse diretório, você encontra caminhos semelhantes para acessar terminais e qualquer dispositivo conectado ao computador, como o mouse e até modems.

Arquivos variáveis: /var

Todo arquivo que aumenta de tamanho ao longo do tempo está no diretório de arquivos variáveis. Um bom exemplo são os logs do sistema, ou seja, registros em forma de texto de atividades realizadas no Linux, como os logins feitos ao longo dos meses.

Processos do sistema: /proc

Lembra da história de que tudo funciona como um arquivo no Linux? Pois o /proc é a prova disso. Nesse diretório são encontrados arquivos que revelam informações sobre os recursos e processos em execução no sistema. Quer um exemplo? Para saber há quanto tempo o Linux está sendo usado desde a última vez em que foi iniciado, basta ler o arquivo /proc/uptime.

Arquivos temporários: /tmp

Arquivos e diretórios criados temporariamente tanto pelo sistema quanto pelos usuários devem ficar nesse diretório. Boa parte deles é apagada sempre que o computador é reiniciado.

Como fica fácil perceber, os nomes dos diretórios dão dicas do que pode ser encontrado em seu interior e, com alguns meses de uso, você estará navegando por eles com facilidade.

Este artigo faz parte de nossa biblioteca de conteúdo "Tudo o que você precisa saber sobre o Linux". Não deixe de acessar e conferir todo o conteúdo publicado sobre o Pinguim.

Matéria completa: http://corporate.canaltech.com.br

value1

4 dicas para dominar os apps “modernos” do Windows 8

Está na hora de começar a respeitar os apps “modernos” feitos sob medida para o Windows 8. É verdade que alguns dos apps na Windows Store são inferiores aos seus equivalentes no desktop, mas muitos outros tiram proveito da tela cheia da “Interface Moderna” (antigamente conhecida como “Metro”) para oferecer uma experiência que é ao mesmo tempo diferente e melhor. 

 

Com uma mente aberta e um pouco de atenção, sua Tela Iniciar pode ser um recurso inestimável. Veja a seguir quatro dicas para tirar o máximo dos apps modernos.

1. Escolha os melhores

Quer um bom motivo para usar a Tela Iniciar? Comece escolhendo bons apps:

Flipboard: esta “revista personalizada” cobre assuntos do seu interesse, com um belíssimo design. É uma figurinha fácil nas listas de melhores apps para tablets há algum tempo, e recentemente chegou à Windows Store.

Facebook: dispensa apresentações.

Wikipedia: à primeira vista lembra a Wikipedia em um site, mas o design e atenção aos detalhes tornam as longas horas que você irá perder lendo sobre os mais variados assuntos mais divertidas do que nunca.

Wikipedia

Netflix: não faltam formas de assistir conteúdo do Netflix, mas este app é a forma mais fácil, e atraente, de fazer isso em um PC ou tablet com Windows.

Toolbox: uma verdadeira caixa de ferramentas com utilitários como uma calculadora, um relógio, previsão do tempo, conversão de unidades, gravador de voz e até um mini navegador integrado. E você pode combinar até seis ferramentas ao mesmo tempo na tela.

2. Monte um painel com Blocos Dinâmicos

Uma vantagem dos apps modernos sobre os tradicionais são os “blocos dinâmicos”, que mostram informações diretamente na tela iniciar sem que você sequer precise abrir o app. Estes cinco apps ilustram bem este conceito.

Alarm Clock HD: a falta de um relógio na Tela Iniciar não faz sentido, mas dezenas de desenvolvedores se voluntariaram para resolver este problema. Entre as inúmeras opções gratuitas, gostamos do Alarm Clock HD, que tem um belo visual e oferece vários pequenos recursos adicionais.

Bing Finanças: permite acompanhar a cotação de ações, moedas e commodities, traz notícias sobre o mercado financeiro e também tem ferramentas úteis, como calculadoras de empréstimo e financiamento de veículos, um simuladores de poupança e planejador de aposentadoria.

Twitter: fique por dentro do que acontece em seu círculo social com o cliente oficial do Twitter para o Windows 8.

Lista: há inúmeros competidores nesta categoria, mas este app gratuito faz um ótimo trabalho em mostrar uma simples lista de tarefas em um bloco dinâmico.

NextGen Reader: notícias concentradas em um só lugar

NextGen Reader: essencial para quem precisa acompanhar múltiplas fontes de notícias ao mesmo tempo.

3. Personalize a Tela Iniciar

Para tirar o máximo dos apps modernos você precisa de uma Tela Iniciar bem organizada, com os blocos que mais usa exatamente onde você precisa. Você também precisa de uma forma fácil de navegar até um determinado app.

Comece dominando os controles básicos dos blocos dinâmicos. Clique, segure e arraste um bloco para mudar sua posição. Conforme você move os blocos, verá que o Windows tenta automaticamente mantê-los agrupados em colunas. Se você quiser começar um novo grupo ou colocar um bloco sozinho em uma coluna, arraste-o para o espaço entre duas colunas. Uma barra vertical acinzentada irá surgir na tela, indicando que uma nova coluna será criada.

Arraste um ou mais blocos para o espaço entre dois grupos para criar uma nova coluna

Por padrão a Tela Iniciar não inclui rótulos, mas você pode nomear cada grupo de blocos. Para isso, dê um clique com o botão direito em um bloco, ou em um espaço vazio, e então clique no botão Personalizar. Isto irá mostrar os campos para os rótulos de cada grupo de blocos.

Clique com o botão direito sobre um bloco para nomear os grupos

Quando você clica com o botão direito do mouse em um bloco, tem a opção de redimensioná-lo, em tamanhos que variam do diminuto Pequeno ao imenso Grande. Você pode deixar todos os blocos de um grupo com o mesmo tamanho, mas misturar blocos maiores e menores torna mais fácil navegar pela Tela Iniciar de relance. Note que os apps com Live Tiles com muita informação são as que mais se beneficiam do tamanho grande.

4. Crie Blocos para seus aplicativos desktop

No Windows 8.1 os desenvolvedores podem criar Blocos Dinâmicos para qualquer tipo de app, moderno ou desktop, mas poucos programas para o desktop tiram proveito deste recurso. O resultado é uma Tela Iniciar cheia de ícones feios e sem graça que você não pode redimensionar.

Mas há um meio de embelezar os atalhos para seu software legado. É um app gratuito chamado OblyTile. Ao rodá-lo você verá vários campos que permitem criar Blocos Dinâmicos de vários tamanhos para qualquer aplicativo, pasta ou site. 

A interface do OblyTile pode parecer "poluída", mas o programa é fácil de usar

Digite o caminho para o aplicativo, ou endereço do site, que o Bloco irá abrir no campoProgram Path, e adicione uma imagem que será mostrada no bloco. Você pode indicar uma imagem diferente para cada tamanho de bloco, ou enviar uma imagem só e deixar o OblyTile “se virar” para redimensioná-la. Com tudo preenchido basta clicar em Create Tile e seu novo Bloco Dinâmico será mostrado na Tela Iniciar.

O OblyTile também permite fazer o oposto, colocar um atalho para um app moderno no desktop. Basta clicar no botão que se parece com o logotipo do Windows, no canto superior direito da tela. Você verá uma lista com todos os apps da Windows Store que estão instalados em seu sistema, e basta um clique para criar um atalho no desktop ou barra de tarefas.

Bem-vindo à era moderna

Sabemos que a nova interface do Windows 8 pode ser um choque. Mas se você respirar fundo e der uma chance à ela, pode descobrir que ela torna mais fácil interagir com seu software de formas que os usuários do Windows 7 e Windows XP nunca imaginariam.

value1

Mikrotik 5.25 Level 6

Mikrotik, sistema operacional baseado em Linux que é usado em micros e RouterBoards para gerenciamento de ISP’s dinâmicos entre centenas de outras funcionalidades.

Realmente o Mikrotik é poderoso e simplesmente, se não, um dos melhores softwares para provedores do mundo!

Algumas outras funcionalidades:

 

Performance otimizada para redes Wireless 802.11a/b/g
Possibilidade de utilização de Protocolo proprietário Nstreme com polling
Ferramentas para Controle de QoS
Filtro eficaz de aplicações P2P
Alta disponibilidade com VRRP
Interface de happy wheels gerenciamento amigável
Exige poucos recursos de hardware
Firewall Statefull e túneis
STP bridging com filtros
Segurança WEP/WPA
WDS e AP”s virtuais
HotSpot para acesso público
Protocolos de roteamento RIP, OSPF e BGP
Acesso remoto por ferramenta apropriada WinBox GUI e Web
telnet/mac-telnet/ssh/console admin
Configuração e monitoramento em tempo real

Tenho certeza de que quem veio até essa página o conhece bem, e estou disponibilizando para download a nova versão.

Mikrotik 5.25 Level 6 download

Download

Dica: Breno Tamburi

fonte: http://securityattack.com.br

value1

Telefónica integra serviço de mensagens instantânea ao Firefox Os

FirefoxA Telefónica e a Line Euro-Americas Corporation, subsidiária da Line Corporation, proprietária e operadora do aplicativo móvel de ligações gratuitas e mensagens instantâneas Line, anunciaram um acordo de cooperação . Pela parceria, usuários da Telefónica do sistema operacional Firefox OS vão poder utilizar de forma exclusiva aplicativo da Line em países como Venezuela, Peru, Espanha, Colômbia, Uruguai, Brasil e México. Em breve, o aplicativo também será comercializado em outros mercados.

 

Esta parceria une o alcance que a Telefónica tem na América Latina e Europa com o rápido crescimento do aplicativo Line em ambas as regiões. O Line registrou mais de 330 milhões de usuários cadastrados no mundo todo no início de 2014, com um aumento de mais de 58% no terceiro trimestre de 2013.

O aplicativo já está disponível no mundo todo através do Marketplace do Firefox OS e será exclusivo para os clientes da Telefónica nos seguintes países: Venezuela, Peru, Espanha, Colômbia, Uruguai, Brasil e México. A ideia é que ao longo do primeiro trimestre de 2014 sejam lançados dispositivos que já tenham o software incorporado de série.

Desde junho de 2013, a Telefónica lançou celulares com o Firefox OS em sete países, além de outras operadoras como a Telenor, Deutsche Telekom e a TIM.

A Telefónica também incluirá o Line nas novas versões e atualizações do sistema operacional para que possa ser utilizado pelos usuários que já utilizem do Firefox OS.

fonte: http://computerworld.com.br/

value1

Panasonic e Mozilla fazem parceria para criação de TVs com o Firefox OS

firefox-osA Panasonic e a Fundação Mozilla, que desenvolve o popular navegador web Firefox, anunciaram nesta segunda-feira uma parceria para o desenvolvimento de Smart TVs baseadas no Firefox OS, um sistema operacional baseado em tecnologias da web originalmente criado para smartphones de baixo custo.

Segundo a Panasonic, a nova plataforma facilitará o desenvolvimento de apps e serviços para TVs, já que é baseada em tecnologias da web amplamente usadas, como HTML5, CSS e JavaScript. A empresa menciona possibilidades como a criação de apps que combinam conteúdo de várias fontes na web com programas de TV, ou interfaces personalidadas aos gostos de cada usuário, baseadas nos sites, apps e serviços que mais usa.

 

Não há informações sobre quando as primeiras Smart TVs baseadas no Firefox OS chegarão ao mercado, ou quanto irão custar. Nesta segunda-feira, também durante a CES, a LG anunciou uma linha de Smart TVs baseadas no webOS, sistema operacional também focado na web, cujos direitos adquiriu da HP em 2013. 

value1

Primeiros smartphones com Firefox OS chegam ao Brasil

firefoxosCom quatro meses de atraso em relação à previsão inicial, desembarcam esta semana no Brasil os dois primeiros smartphones equipados com o sistema operacional Firefox OS, da Mozilla. LG Fireweb e Alcatel Onetouch Fire são vendidos pela Telefônica/Vivo, parceira no desenvolvimento da plataforma voltada a aparelhos de baixo custo.

 

LG Fireweb/Divulgação
celular

Antes chamado de LG Leo, o Fireweb é modesto. Tem tela de 4 polegadas com resolução de 320x480 e apenas 2 GB de armazenamento interno, com expansão para até 32GB por meio de cartões MicroSD. Custa R$ 450 no pré-pago. Há suporte para 3G e WiFi, câmera de 5 megapixels com flash LED e bateria de 1.540 mAh -- que promete durar 31 horas em uso normal.

O Alcatel Onetouch Fire é vendido a R$ 200 no pré-pago e apresenta tela de 3,5 polegadas, câmera de 3,2 megapixels, processador Qualcomm 3G de 1 GHz, e cartão de memória de 2 GB. Também há conectividade Wi-Fi, Bluetooth e 3G. 

Sobre o Firefox OS

A Mozilla evita a concorrência com Android e iOS. Segundo Fábio Magnoni, gerente da empresa na América Latina, o objetivo com o sistema é "ajudar as pessoas a migrarem dos feature phones -- celulares co funções básicas -- para os smartphones". O Firefox OS foi desenvolvido em cima de padrões abertos da web e será lançado no Peru, Uruguai e México ainda em outubro.

fonte: http://olhardigital.uol.com.br/