value1

4 dicas para dominar os apps “modernos” do Windows 8

Está na hora de começar a respeitar os apps “modernos” feitos sob medida para o Windows 8. É verdade que alguns dos apps na Windows Store são inferiores aos seus equivalentes no desktop, mas muitos outros tiram proveito da tela cheia da “Interface Moderna” (antigamente conhecida como “Metro”) para oferecer uma experiência que é ao mesmo tempo diferente e melhor. 

 

Com uma mente aberta e um pouco de atenção, sua Tela Iniciar pode ser um recurso inestimável. Veja a seguir quatro dicas para tirar o máximo dos apps modernos.

1. Escolha os melhores

Quer um bom motivo para usar a Tela Iniciar? Comece escolhendo bons apps:

Flipboard: esta “revista personalizada” cobre assuntos do seu interesse, com um belíssimo design. É uma figurinha fácil nas listas de melhores apps para tablets há algum tempo, e recentemente chegou à Windows Store.

Facebook: dispensa apresentações.

Wikipedia: à primeira vista lembra a Wikipedia em um site, mas o design e atenção aos detalhes tornam as longas horas que você irá perder lendo sobre os mais variados assuntos mais divertidas do que nunca.

Wikipedia

Netflix: não faltam formas de assistir conteúdo do Netflix, mas este app é a forma mais fácil, e atraente, de fazer isso em um PC ou tablet com Windows.

Toolbox: uma verdadeira caixa de ferramentas com utilitários como uma calculadora, um relógio, previsão do tempo, conversão de unidades, gravador de voz e até um mini navegador integrado. E você pode combinar até seis ferramentas ao mesmo tempo na tela.

2. Monte um painel com Blocos Dinâmicos

Uma vantagem dos apps modernos sobre os tradicionais são os “blocos dinâmicos”, que mostram informações diretamente na tela iniciar sem que você sequer precise abrir o app. Estes cinco apps ilustram bem este conceito.

Alarm Clock HD: a falta de um relógio na Tela Iniciar não faz sentido, mas dezenas de desenvolvedores se voluntariaram para resolver este problema. Entre as inúmeras opções gratuitas, gostamos do Alarm Clock HD, que tem um belo visual e oferece vários pequenos recursos adicionais.

Bing Finanças: permite acompanhar a cotação de ações, moedas e commodities, traz notícias sobre o mercado financeiro e também tem ferramentas úteis, como calculadoras de empréstimo e financiamento de veículos, um simuladores de poupança e planejador de aposentadoria.

Twitter: fique por dentro do que acontece em seu círculo social com o cliente oficial do Twitter para o Windows 8.

Lista: há inúmeros competidores nesta categoria, mas este app gratuito faz um ótimo trabalho em mostrar uma simples lista de tarefas em um bloco dinâmico.

NextGen Reader: notícias concentradas em um só lugar

NextGen Reader: essencial para quem precisa acompanhar múltiplas fontes de notícias ao mesmo tempo.

3. Personalize a Tela Iniciar

Para tirar o máximo dos apps modernos você precisa de uma Tela Iniciar bem organizada, com os blocos que mais usa exatamente onde você precisa. Você também precisa de uma forma fácil de navegar até um determinado app.

Comece dominando os controles básicos dos blocos dinâmicos. Clique, segure e arraste um bloco para mudar sua posição. Conforme você move os blocos, verá que o Windows tenta automaticamente mantê-los agrupados em colunas. Se você quiser começar um novo grupo ou colocar um bloco sozinho em uma coluna, arraste-o para o espaço entre duas colunas. Uma barra vertical acinzentada irá surgir na tela, indicando que uma nova coluna será criada.

Arraste um ou mais blocos para o espaço entre dois grupos para criar uma nova coluna

Por padrão a Tela Iniciar não inclui rótulos, mas você pode nomear cada grupo de blocos. Para isso, dê um clique com o botão direito em um bloco, ou em um espaço vazio, e então clique no botão Personalizar. Isto irá mostrar os campos para os rótulos de cada grupo de blocos.

Clique com o botão direito sobre um bloco para nomear os grupos

Quando você clica com o botão direito do mouse em um bloco, tem a opção de redimensioná-lo, em tamanhos que variam do diminuto Pequeno ao imenso Grande. Você pode deixar todos os blocos de um grupo com o mesmo tamanho, mas misturar blocos maiores e menores torna mais fácil navegar pela Tela Iniciar de relance. Note que os apps com Live Tiles com muita informação são as que mais se beneficiam do tamanho grande.

4. Crie Blocos para seus aplicativos desktop

No Windows 8.1 os desenvolvedores podem criar Blocos Dinâmicos para qualquer tipo de app, moderno ou desktop, mas poucos programas para o desktop tiram proveito deste recurso. O resultado é uma Tela Iniciar cheia de ícones feios e sem graça que você não pode redimensionar.

Mas há um meio de embelezar os atalhos para seu software legado. É um app gratuito chamado OblyTile. Ao rodá-lo você verá vários campos que permitem criar Blocos Dinâmicos de vários tamanhos para qualquer aplicativo, pasta ou site. 

A interface do OblyTile pode parecer "poluída", mas o programa é fácil de usar

Digite o caminho para o aplicativo, ou endereço do site, que o Bloco irá abrir no campoProgram Path, e adicione uma imagem que será mostrada no bloco. Você pode indicar uma imagem diferente para cada tamanho de bloco, ou enviar uma imagem só e deixar o OblyTile “se virar” para redimensioná-la. Com tudo preenchido basta clicar em Create Tile e seu novo Bloco Dinâmico será mostrado na Tela Iniciar.

O OblyTile também permite fazer o oposto, colocar um atalho para um app moderno no desktop. Basta clicar no botão que se parece com o logotipo do Windows, no canto superior direito da tela. Você verá uma lista com todos os apps da Windows Store que estão instalados em seu sistema, e basta um clique para criar um atalho no desktop ou barra de tarefas.

Bem-vindo à era moderna

Sabemos que a nova interface do Windows 8 pode ser um choque. Mas se você respirar fundo e der uma chance à ela, pode descobrir que ela torna mais fácil interagir com seu software de formas que os usuários do Windows 7 e Windows XP nunca imaginariam.

value1

Microsoft revela Windows 8.1 com novas ferramentas de personalização

windows8O anúncio oficial do Windows 8.1, também conhecido pelo codinome "Windows Blue", está se aproximando e aMicrosoft já está divulgando as novidades que estão por vir com a atualização de seu sistema operacional.

Por meio de um post em seu blog oficial, a empresa apresentou um vídeo com a nova tela de bloqueio do sistema, com uma montagem com fotos do seu PC e SkyDrive. Além disso, também são apresentados novos tamanhos dos "live tiles", os quadrados que formam a tela de início do Windows 8.

Jensen Harris, diretor de experiência de usuário do Windows, mostra no vídeo uma nova tela chamada "All Apps" ("Todos os aplicativos"), que reúne, como o próprio nome diz, todos os programas instalados no PC, que podem ser reorganizados em ordem alfabética, gênero, ou até frequência de uso.

Foram apresentadas várias opções de personalização da interface e um novo sistema de buscas para o sistema, mas o vídeo se encerra com o novo recurso de multitarefa, que permite que os aplicativos rodem lado a lado com grande facilidade.

Confira o vídeo:

{media load=media,id=198,width=200,align=left,display=inline}

O Windows 8.1 deve ser finalmente revelado em 26 de junho durante a "Build", a conferência anual da empresa para se encontrar com desenvolvedores.

fonte:  http://olhardigital.uol.com.br/

value1

Novo Windows será gratuito para atualização, avisa Microsoft

novo-windowsA Microsoft anunciou que a próxima atualização de seu sistema operacional se chamará Windows 8.1, e estará disponível para download gratuito até o final do ano para quem usa a versão atual, de número 8.

Além de mudanças e correções, a companhia deve mudar o formato de lançamento do sistema -- em vez de grandes mudanças a cada 3 anos, podemos presenciar a primeira etapa de um processo de atualizações mais frequentes e dosadas. Com isso, a Microsoft se equipara ao modelo da Apple, por exemplo, ao alterar seu produto anualmente.

O analista da companhia Michael Cherry adianta que, apesar de o Windows8.1 ser gratuito desta vez, a tendência é que as próximas atualizações sejam cobradas. Em entrevista ao Computerworld, ele previu preços entre US$ 24,99 e US$ 49,99 pelos upgrades futuros.

Antes disso, segundo o analista, a Microsoft deve estudar quanto o usuário está disposto a pagar pelas atualizações e o ritmo com que elas poderão ser feitas. Neste sentido, a empresa vai avaliar a quantidade de recursos a serem adicionados e tentar manter cadência consistente e previsível para os lançamentos.

fonte: http://olhardigital.uol.com.br/

value1

Entenda porque o Windows Blue pode acabar com o desktop

windowsblueFiéis entusiastas do PC, se preparem. Vocês não vão gostar do que estou prestes a dizer. Em mesmo não gosto, e estou quase aterrorizado em fazê-lo de forma tão direta. Mas é algo que precisa ser dito.

 

Há uma boa chance de que a Microsoft decida matar o desktop no Windows 9. Nada mais de Gerenciador de Tarefas, Windows Explorer ou compatibilidade com aplicativos legados (escritos para versões anteriores do sistema). Teremos 100% blocos dinâmicos, em 100% do tempo.

Este dia ainda parece distante no horizonte, mas está chegando. De fato se o Windows Blue, a atualização do Windows 8 que vazou há alguns dias na internet, nos mostra algo, é que a Microsoft está disposta a desenfatizar o desktop em favor da nova Modern UI (Interface Moderna).

Leia também
» Por dentro do Windows Blue: 10 coisas legais na próxima versão do Windows
» Livre-se de uma vez da nova interface do Windows 8!

Feito para o toque

Todos já sabem que o Windows 8 (e seu primo simplificado, o Windows RT) é a resposta da Microsoft ao estrondoso sucesso dos smartphones e tablets. Interface feita para o toque! Loja de Apps! Bing Maps! Tem até um modo avião! Mais “mobile” impossível.

A própria introdução da Tela Iniciar foi um mau sinal para os fãs do desktop, mas as nuvens escurecem pra valer quando você começa a notar quanto da funcionalidade básica do Windows está sendo retirada da boa e velha área de trabalho.

Com a exceção do Windows Media Player, não há um único programa essencial da Microsoft no Windows 8 que resida no desktop (e até mesmo o Windows Media Player foi parcialmente substituído pelos apps Música e Filmes). Calendário, Internet Explorer, Email, Mensagens, Pessoas, até mesmo o visualizador de PDFs do sistema adotaram a interface moderna e vivem na Tela Iniciar, e se juntam a apps auxiliares como Finanças, Notícias, Viagens e os já mencionados Música e Vídeo. O Windows 8 foi projetado para que você nunca tenha de acessar o desktop, a não ser que tenha de rodar um programa legado ou fazer algum ajuste mais específico no Painel de Controle.

rever-win8-inicial
A Tela Iniciar é a pedra fundamental da interface do Windows 8

Mas mesmo esse nível de engajamento com o desktop parece estar com os dias contados. O Windows 8 ainda exige um “mergulho” no desktop mesmo para funções básicas como mudar o relógio do sistema ou a resolução da tela, mas o Windows Blue traz uma reforma geral da tela Configurações, trazendo muitos dos ajustes que ficavam no painel de controle para uma interface mais amigável ao toque.

E não vamos nos esquecer de como o Menu Iniciar foi chutado do Windows 8 e substituído pela funcionalmente similar (porém melhor) tela Todos os Aplicativos (All Apps). Nem devemos nos esquecer de que é impossível iniciar o Windows 8 diretamente no desktop sem recorrer a apps de terceiros ou truques. Está entendendo o recado?

Mas por quê?

Não é vaidade. A Microsoft tem muito a ganhar com uma mudança para um Windows puramente “moderno”. Em primeiro lugar, as vendas de PCs estão paradas ou vem caindo (em número de unidades entregues pelos fabricantes às lojas) ao longo dos últimos dois anos, com cerca de 350 milhões de unidades em 2012. Não é pouco, mas os smartphones por si só vendem muito mais que os PCs. Foram 208 milhões de unidades apenas no quarto trimestre de 2012. E o IDC (parte do grupo que inclui a PCWorld) espera que as vendas de tablets cheguem a 350 milhões de unidades em 2017.

A Interface Moderna no Windows 8 brilha nos dispositivos móveis, até você ser levado de volta ao desktop por um ou outro motivo. Acabar com ele tornaria o Windows mais palatável a estes explosivos segmentos do mercado, e permitiria que a Microsoft focasse seus recursos em uma só interface unificada.

windowsphone8 ui
A interface do Windows agora é a mesma no smartphone, tablet ou PC

Além disso, não haveria uma forma mais fácil de silenciar as reclamações sobre o comportamento “bipolar” do Windows 8 do que se livrar de uma das interfaces. E se o desktop (e a compatibilidade com os apps legados) for abandonado, quase todo software para Windows terá de ser distribuído através da Windows Store. Isso não só permitiria que a Microsoft tivesse mais controle sobre a segurança (apps maliciosos são extremamente raros na App Store da Apple, por exemplo) mas também daria à Microsoft um percentual de 30% sobre o preço de todo e qualquer software para Windows. Do ponto de vista dos negócios, uma plataforma “fechada” traz várias vantagens.

Abrindo caminho

Mas nem mesmo a Microsoft pode se livrar de uma “instituição” como o desktop do Windows de uma hora para a outra. É aqui que entra a genialidade do Windows Blue e o suposto ciclo anual de atualizações. Versões anuais do sistema permitirão à Microsoft iterar e apresentar novos recursos mais rapidamente, mas também permitem que a empresa afaste os usuarios do desktop um pouquinho de cada vez, ano após ano, até que sua “morte” seja relativamente indolor. Seria como perder aquele primo de terceiro grau que você só vê em reuniões de família uma vez a cada década.

E, de fato, o desktop já está com um pé na cova.

O Windows Blue e uma rodada de atualizações dos apps do Windows 8 são mais um passo na transição do desktop para a Interface Moderna. A Microsoft está migrando ainda mais funções essenciais do Windows para ela, e implementando melhorias como o novo recurso de tela dividida que facilita a multitarefa, melhor suporte a toque no Email e a habilidade de sincronizar documentos com a nuvem no app do Skydrive para levar os devotos do desktop para o outro da força.

A irrelevância do Painel de Controle é apenas o começo. O site Ars Technicaencontrou indícios de uma versão moderna de um gerenciador de arquivos, ainda inacessível, na versão do Windows Blue que vazou na internet.

Mas aparar as arestas do Windows não é a única coisa que a Microsoft precisa fazer antes de matar o desktop. A Interface Moderna é baseda nos blocos dinâmicos, que são parte dos apps “Modernos” feitos sob medida para o Windows 8, e a Windows Store precisa de um “gás” antes que a nova interface possa realmente dominar o Windows. Embora a loja já tenha vários apps de destaque (incluindo, finalmente, um app do Twitter) ela ainda está atrás do Android e iOS tanto em qualidade quanto em quantidade, e a sua velocidade de crescimento caiu vertiginosamente em meses recentes.

A Microsoft está encarando este problema com um novo programa de incentivo aos desenvolvedores, mas eles certamente adotarão a plataforma à medida em que mais e mais usuários migrarem para o Windows 8. Mesmo que as vendas de PC estejam estagnadas, 350 milhões de unidades por ano não é algo de se jogar fora, e a vasta maioria desses computadores novinhos em folha virão com o Windows 8 pré-instalado.

reviewwin8 loja
A loja no Windows 8 é uma grande oportunidade para a Microsoft

À medida em que as pessoas fizerem o upgrade para o Windows 8, irão encontrar as já mencionadas melhorias - entregues através da Microsoft Store - que aumentam a utilidade a Tela Iniciar e reduzem a do desktop. Você pode até se apegar aos seus preciosos aplicativos no desktop, mas será que o usuário comum se importa se dá duplo clique em um ícone ou um clique em bloco dinâmico, especialmente se as funções básicas do sistema e aplicativos como o Email já lhe ensinaram o jeito “moderno” de ser? Creio que não.

E conforme as pessoas passam uma quantidade maior de tempo com apps feitos sob medida para o Windows 8, os desenvolvedores irão responder com ainda mais apps para o Windows 8. O número de aplicativos disponíveis irá aumentar com o tempo, e isso não precisa acontecer rapidamente. A Microsoft sempre pensa a longo prazo.

Todas as peças se encaixam. E predizem o fim do desktop no Windows 9, seja lá quando ele for lançado.

Barata digital

Não chore pelo desktop (você chorou quando as interfaces gráficas varreram a linha de comando do mapa?). Seu fim irá marcar o início de uma nova era, uma era de computação ubíqua onde tudo é sensível ao toque. Já assistiu a Minority Report?

removermetro desktop
Aproveite o desktop... enquanto pode

Além disso, o desktop não irá realmente morrer no Windows 9. Como uma barata ele irá sobreviver em cantos escuros, na forma de edições especializadas ou ferramentas projetadas para que desenvolvedores possam criar seus programas e usuários corporativos possam rodar os aplicativos da era do Windows XP dos quais suas empresas ainda dependem. E quando a Microsoft finalmente puxar a tomada, pode ter certeza de que todas as empresas que ainda não tiverem lançado um app para o Windows 8 o farão rapidamente. Um Windows inteiramente baseado na interface moderna será diferente, mas não algo devastador.

E não será amanhã. Aproveite seu tempo com seus preciosos aplicativos legados enquanto pode, caro entusiasta. Todas as lágrimas do mundo não mudam o fato de que o desktop já morreu, só ainda não foi avisado disso.

fonte: http://computerworld.uol.com.br/

Pesquisador afirma que Windows 8 traz importantes melhorias de segurança

Com a chegada do Windows 8 em breve, aspectos do novo sistema operacional relacionados à proteção anti-malware e outros recursos de segurança estão em foco.

Em comparação com versões anteriores do Windows, a Microsoft está tomando uma abordagem bem diferente - e, provavelmente, muito melhor - na forma como o novo OS executará a proteção antimalware, segundo o pesquisador da empresa de antivírus ESET, Aryeh Goretsky. Essa estratégia, chamada de "Early Launch Anti-Malware" (algo como, "Lançamento Antecipado Antimalware"), significa, basicamente, que o primeiro driver de software a ser carregado no Windows 8 será o do software de proteção.

 

Esta é uma mudança grande, porque antes, era uma "terra de ninguém", diz Goretsky. Ou seja, o primeiro driver a ser carregado anteriormente na máquina do usuário era aleatório e "um driver de dispositivo malicioso" poderia ser o primeiro, permitindo que o malware desabilite o software de proteção, antes de ser detectado.

A Microsoft colocou algumas proteções para garantir que os softwares antimalware de fornecedores que tenham passado por processo de revisão da assinatura digital da Microsoft seja carregado primeiro, com o intuito de verificar se o sistema está limpo antes de continuar o processo de inicialização, diz Goretsky.

Software antivírus

Há, no entanto, um porém: a própria Microsoft está distribuindo seu software antimalware chamado Windows Defender. Então, a menos que o usuário o tenha desinstalado, ele será o primeiro software antivírus a ser carregado. Uma vez que alguns fornecedores de computador ganham dinheiro por meio de parcerias com grandes fornecedores, como Symantec e McAfee, eles podem desinstalar o software antes que o OS chegue ao alcance do consumidor, comentou Goretsky.

No quesito "desinstalação do software antivírus" - sendo ele da Microsoft ou não - o novo sistema também apresentou um enorme progresso, de acordo com Goretsky. Isso porque, pela primeira vez, as exigências da Microsoft deixam claro como os pacotes de software de segurança têm que ser cuidadosamente removidos, quando solicitado pelo usuário.

O pequeno segredo da indústria é de que softwares antimalware são conhecidos por fazer alterações de registro e outras modificações no sistema operacional que, basicamente, dificultam a volta ao seu estado anterior, diz Goretsky. Segundo o especialista, muitas vezes há uma confusão de drivers de dispositivos e serviços que continuam rodando mesmo quando, em teoria, o software foi desinstalado. Isso faz com que o sistema operacional não seja tão simples para o próximo antimalware que tiver que lidar com ele.

Há outros aspectos de segurança do Windows 8 interessantes, ressalta. Um deles é o chamado "Unified Extensible Firmware Interface", que requer um firmware assinado digitalmente para ser usado durante a inicialização, a fim de evitar um rootkit interfira no processo, tornando-o seguro. Esse tipo de processo é baseado nos padrões UEFI da indústria e apoiado pelo Instituto Nacional de Padrões e Tecnologia.

value1

Nove perguntas ainda sem resposta

win8

Apesar da data de lançamento (26 de Outubro) que se aproxima, ainda há algumas questões sobre o Windows 8, novo sistema operacional da Microsoft, que continuam sem resposta. Algumas são grandes, outras pequenas, mas todas são relevantes tanto para os usuários experientes de PCs que já decidiram pela migração, como para pessoas que querem comprar novas máquinas com o Windows 8

 

Vamos fazer o melhor possível para explicar nove destes mistérios, e ajudá-lo a entender porque são importantes.

Leia também
» Vai comprar um PC? Prepare-se para o Windows 8!
» Como preparar seu PC atual para o Windows 8

Como usuários irão sincronizar mídia com seus smartphones, incluindo aparelhos Windows Phone?

Até agora os usuários de aparelhos Windows Phone tem que usar o aplicativo Zune Desktop para copiar arquivos de mídia do PC para o smartphone, e vice-versa. Com o Windows 8 a marca Zune deixa de existir, e ainda não temos uma declaração oficial sobre o quê irá substituí-la.

O site The Verge publicou uma imagem de um app para o Windows Phone, mas ela nos dá apenas uma rápida idéia de como o sistema de sincronização pode funcionar. Além disso, não responde à pergunta principal: ainda haverá um aplicativo para o desktop?

Também não sabemos se a Apple irá lançar uma versão do iTunes na Windows Store. Soa como algo improvável, mas seria a única forma que os usuários de aparelhos com o Windows RT teriam para sincronizar conteúdo com seus iPhone, iPod Touch e iPad. Será que a Apple irá ignorar estes usuários porque eles “ousaram” escolher um tablet com Windows em vez de um iPad? Só o tempo dirá.

Como o Xbox Music irá funcionar?

Embora a Microsoft tenha anunciado o serviço Xbox Music em Junho, os detalhes não estão claros. Espera-se que o serviço seja um concorrente do Pandora e Spotify, com streaming gratuito de áudio, como uma estação de rádio, e um sistema de assinatura para acesso sob demanda. Mas a única declaração oficial é que devemos “esperar” para saber sobre detalhes de preço e planos.

xboxImagem promocional do Xbox Music

A maior questão ainda não respondida sobre o serviço é se ele é uma resposta ao iTunes in the Cloud, da Apple, que funciona como um repositório online para todas as músicas que você já tem. Ainda não está claro se o Xbox Music terá um recurso similar. Esperamos ter respostas em breve.

Quais são os detalhes do SmartGlass?

O SmartGlass é um aplicativo para tablets com o Windows 8 - e eventualmente com outros sistemas operacionais - que permite controlar e enviar conteúdo para um Xbox 360. Ele também pode mostrar conteúdo adicional no tablet enquanto um vídeo ou jogo está sendo mostrado na TV.

A idéia parece ótima, mas não sabemos exatamente como irá funcionar a seleção de conteúdo de terceiros, como o Netflix. Também não sabemos quantos apps irão oferecer suporte à “segunda tela” do SmartGlass. Até o momento a Microsoft demonstrou serviços como o HBO Go e conceitos de como seria Halo 4 com suporte ao SmartGlass, mas fora isso há pouca informação concreta.

SmartGlassCom o SmartGlass, seu portátil vira uma "segunda tela" do Xbox 360

A Microsoft irá modernizar outros de seus apps, como o Paint e o Movie Maker?

O Windows 8 virá acompanhado por vários aplicativos da Microsoft otimizados para tablets, como o Bing, Esportes, Finanças e Clima. Até mesmo o bom e velho jogo de paciência recebeu uma maquiagem para funcionar melhor em conjunto com a interface sensível ao toque.

Ainda assim, alguns aplicativos como o Paint e o Movie Maker ainda não fizeram a transição. Isso é surpreendente, considerando que os aplicativos para criação de conteúdo da Apple, como o iPhoto e o iMovie, se tornaram grandes sucessos de vendas no iPad.

Será que a Microsoft vai atualizar seus apps, ou irá esperar que terceiros aproveitem a oportunidade? Esta é uma pergunta crítica, considerando que a Windows Store, loja de aplicativos da empresa, ainda está bastante vazia. Se a Microsoft realmente quiser que os consumidores levem seu ecossistema a sério, deve se certificar de que que todos os seus principais aplicativos também tenham versões otimizadas para o toque.

Como serão as futuras atualizações de sistema?

Ao fundir o tablet e o desktop em um único sistema operacional, a Microsoft criou um dilema para as atualizaçoes futuras. Serão elas gratuitas, como no iOS e Android, ou pagas, como tem sido nas versões anteriores do Windows e no Mac OS X? E com que frequência a Microsoft irá lançar atualizações com novos recursos, em vez de simples correções de bugs?

As inovações no mundo do software acontecem com velocidade cada vez maior nos últimos anos, então a tradição da Microsoft de se ater a um cronograma de atualizações a cada três anos pode não ser mais o suficiente. Será esta a última “grande” versão do Windows, antes que a Microsoft decida adotar um sistema de iterações anuais? A resposta tem ramificações importantes para qualquer um que esteja ponderando sobre se o melhor é atualizar para o Windows 8 agora ou esperar.

Quanto o Windows 8 irá custar daqui a seis meses?

Até 31 de Janeiro o upgrade para o Windows 8 Professional, para quem já usa o Windows XP, Vista ou 7, irá custar US$ 40. Mas a Microsoft não disse qual será o preço do upgrade após essa data. Os usuários terão de comprar uma licença “completa”, que estima-se que custará mais de US$ 100, ou será que uma opção mais barata de upgrade continuará disponível?

Quanto o Surface irá custar? E qual sua resolução de tela e autonomia de bateria?

Quatro meses atrás a Microsoft chocou o mundo da tecnologia ao anunciar seus próprios tablets com Windows 8, batizados de Surface. Eles são como nenhum outro já mostrado pelos demais fabricantes, com apoios integrados e protetores de tela magnetizados que também funcionam como teclados ultrafinos. Entretanto, desde o anúncio a Microsoft não tem falado sobre alguns detalhes importantes do produto, como seu preço exato, resolução de tela e qual a autonomia de bateria.

SurfaceUm Surface preto, com sua "Type Cover" com teclado mecânico

Quanto ao preço, a empresa disse que a versão Windows RT do Surface (com um processador ARM) terá um preço comparável ao de outros tablets, e que a versão Pro terá um preço comparável aos dos Ultrabooks.

Mas em termos não oficiais, pelo menos uma estimativa do custo das peças sugere que o custo real de um Surface RT é de cerca de US$ 300, enquanto o do Surface Pro poderia chegar a US$ 640. A partir daí dá para ter uma idéia do preço final ao consumidor. mas ninguém sabe qual a margem de lucro que a Microsoft espera conseguir em sua primeira aventura por conta própria no mundo dos tablets.

Para aumentar o mistério há um rumor, reportado pelo Engadget, de que a Microsoft  irá vender o Surface RT por apenas US$ 200, oferecendo-o subsidiado em parceria com um serviço por assinatura, como o acesso a uma versão do Office. 

Já quanto à tela, a Microsoft disse que o modelo RT terá uma tela “HD”, e que o modelo Pro terá uma tela “Full HD”, mas estes são apenas termos de marketing que não correspondem a especificações reais.Um pouco de bom senso nos sugere que a versão RT terá uma tela de 1366 x 768 pixels (o mínimo absoluto para tirar total proveito da interface do Windows 8), e que o modelo Pro terá uma tela de 1920 x 1080 pixels, mas só a Microsoft pode confirmar estes números.

A versão RT do Surface deve ser lançada em 26 de Outubro, junto com o Windows 8, então este mistério não deve durar para sempre. Ainda assim, o Surface é um produto imensamente aguardado, então quanto mais cedo a Microsoft responder às nossas perguntas, menos ansiosos os entusiastas da tecnologia irão ficar.

Como a Microsoft irá explicar aos consumidores a diferença entre o Windows 8 e Windows RT?

Usuários mais técnicos que acompanharam o desenvolvimento do Windows 8 e Windows RT provavelmente já sabem quais as diferenças entre as duas versões do sistema. O primeiro rodará em tablets e notebooks com processadores de arquitetura x86 (feitos pela Intel e AMD), enquanto o segundo rodará apenas em máquinas com processadores de arquitetura ARM, sem suporte ao software “legado” já escrito para o Windows 7 e versões anteriores, mas que provavelmente serão mais baratas, finas e leves.

O desafio para a equipe de marketing da Microsoft será comunicar de forma clara esta diferença para o usuário comum, que não se importa com a arquitetura do processador e só quer que tudo funcione. No momento, ainda não está claro como a empresa pretende fazer isso.

Quantos apps estarão disponíveis no lançamento?

Até o dia 10 deste mês, a Windows Store nos EUA contava com cerca de 2.400 apps. É certamente menos do que a meta de “cinco dígitos” que a Microsoft definiu para si mesma, e não sabemos se a situação irá mudar até a data do lançamento. Só o tempo dirá se a Microsoft irá conseguir convencer os desenvolvedores a adotar sua loja e persuadí-los a não continuar apenas no Desktop.

storeA loja de aplicativos do Windows 8. 2.400 títulos até agora