value1

EUA começam a definir regras para a fabricação de armas inteligentes

EUA começam a definir regras para a fabricação de armas inteligentes

Smartphones, smartwatches e agora “smartguns”. Os Estados Unidos começaram a definir uma série de orientações que as fabricantes deverão seguir para que os produtos satisfaçam as exigências dos órgãos legais. As especificações técnicas dizem a respeito, por enquanto, apenas das “pistolas inteligentes”. Continue reading "EUA começam a definir regras para a fabricação de armas inteligentes"

value1

Máquinas inteligentes absorverão 7% dos empregos humanos até 2025

Máquinas inteligentes absorverão 7% dos empregos humanos até 2025,

Respire fundo porque o futuro talvez não seja tão desanimador quanto você esperava. Um relatório da consultoria Forrester Research aponta que os sistemas de inteligência artificial vão substituir 7% dos empregos nos Estados Unidos até 2025. Continue reading "Máquinas inteligentes absorverão 7% dos empregos humanos até 2025"

value1

Cientistas criam robô microscópico com "design perfeito"

Um grupo de cientistas do Instituto Max Planck para Sistemas Inteligentes na Alemanha afirma ter criado o design perfeito para robôs microscópicos. A ideia é que a tecnologia seja usada para nadar através de fluidos corporais e assim, reparar células danificadas ou entregar medicamentos.

 

De acordo com os cientistas, o robô possui formato esférico e uma espécie de “asa” que ajuda a movimentar o equipamento. Ambos mal podem ser vistos a olho nu, como explica oEngadget.

Além disso, a movimentação é feita de trás para frente, o que permite nadar tantos em fluidos mais grossos ou mais finos, dependendo da situação.

O robô, que ainda não recebeu nome no protótipo, também não precisa de bateria ou motores, já que segundo seus criadores, a energia é fornecida por meio de um campo magnético externo. Por meio de ímãs presentes em casa asa, é possível controlar também a velocidade dos lados do robô.

A equipe afirma ainda que o robô não possui propósito específico até então, mas que eles esperam que ele sirva de modelo para outros cientistas ou empresas que queiram desenvolver tecnologias médicas.

Veja abaixo um vídeo explicativo do protótipo:

Fonte: Olhar Digital

Time usa robôs controlados pela internet para encher estádio vazio

Um time de beisebol coreano descobriu um jeito alternativo de preencher o espaço vazio em seu estádio durante as partidas e animar a torcida. O Hanwha Eagles terá robôs nas arquibancadas, que poderão ser controlados remotamente por torcedores reais, que não puderam marcar presença física no jogo, via internet. 

Os robôs nas arquibancadas são capazes de mostrar cartazes sincronizados, pedindo para o restante da torcida de carne e osso gritar, cantar, ou então puxar o coro. Eles podem até mesmo iniciar a “hola” no estádio. 

Quem não conseguir aparecer no estádio pode criar seu avatar que preencherá a tela que fica na região da “cabeça” do robô. É possível enviar uma foto para ocupar este espaço e personalizar o seu robô. Também é possível comandar remotamente seus movimentos. 

{media load=media,id=340,width=200,align=left,display=inline}

Para o Hanwha Eagles, é uma oportunidade maior de preencher os assentos vazios, já que nos últimos anos a equipe tem sido um saco de pancadas que acumulou 400 derrotas nos últimos cinco anos. Os robôs são uma oportunidade de povoar um pouco mais os espaços vazios e também gerar uma fonte de renda alternativa. 

“Há potencial de monetização. Você pode cobrar, mesmo que uma quantia pequena, para dar aos fãs uma perspectiva diferente do jogo”, diz Matt Cutler, editor da SportBusiness International.

Via BBC 

value1

Conheça os profissionais que mais correm riscos de ser trocados por robôs

esterminadorÉ uma tendência praticamente irreversível: os robôs vão acabar com muitos dos empregos que conhecemos hoje. Conforme o tempo for passando, as máquinas serão responsáveis pela maioria dos trabalhos puramente mecânicos e também pelos empregos que causem riscos aos trabalhadores.

De acordo com uma pesquisa de Carl Benedikt Frey e Michael A. Osborne, pesquisadores de Oxford, 47% dos trabalhos realizados nos Estados Unidos já são perfeitamente realizáveis por robôs. E algumas profissões já até mesmo já estariam prestes a ser extintas.

Abaixo está a lista das profissões que tem 99% de chances serem completamente tomadas por inteligências artificiais em pouco tempo, de acordo com o estudo: 

Operador de telemarketing
Pesquisador de documentos
Costureira
Técnico Matemático
Corretor de Seguros
Relojoeiro
Empacotador
Fiscal
Revelador de fotos
Contador
Bibliotecário
Técnico de entrada de dados
value1

Cientistas testam rede mundial de troca de conhecimento entre robôs

exterminador-robosUma ideia digna de filmes de ficção científica começará a ser aplicada em breve pela Universidade de Eindhoven, nos Países Baixos. O projeto RoboEarth, que pretende criar uma rede conectada global para troca de conhecimento entre robôs, vai funcionar em caráter de testes em quartos falsos de hospital, montados especialmente para o trabalho.

O “cérebro compartilhado”, como está sendo chamado, deve ser capaz de aprender com as circunstâncias e compartilhar esse conhecimento entre quatro robôs, que estarão conectados a ele durante todo o tempo. Eles terão que realizar tarefas simples, como servir bebidas para pacientes ou observar sinais vitais.

 

Um banco de dados virtual será utilizado como depósito de todo o conhecimento e será constantemente atualizado, tanto pelas máquinas quanto pelos seres humanos que as controlam. Informações como mapas dos ambientes e potenciais perigos, por exemplo, serão carregadas em tempo real e estarão disponíveis para todos os outros.

Além da Universidade de Eindhoven, outras cinco instituições de ensino da Europa também participam do projeto RoboEarth, que conta ainda com alguns pesquisadores da Philips. De acordo com a BBC, o foco é a criação de robôs multitarefa, capazes de realizar diversas funções em vez de serem presos a uma única programação.

Além disso, o uso do armazenamento nas nuvens significará em uma redução de custos na produção das máquinas, que precisarão de menos componentes e um poder de processamento mais baixo. Muitos dos cálculos necessários serão feitos pelo RoboEarth e os resultados serão entregues prontos por meio da internet.

A expectativa dos cientistas é que a ideia seja aplicada de forma comercial daqui a 10 anos, quando os primeiros assistentes robóticos completos devem chegar ao mercado. O grande foco dos estudos é o auxílio a idosos e pessoas com necessidades especiais.

Matéria completa: http://canaltech.com.br/

value1

Robôs patrulham fronteira entre México e EUA

robôsOs EUA colocaram em prática uma das suas tecnologias mais promissoras e levaram robôs para as passagens subterrâneas entre o México e o estado norte-americano da Califórnia.

Desde 2008 foram encontradas cerca de 75 passagens subterrâneas que servem para os imigrantes ilegais, contrabando de drogas, armas e muitas outras atividades consideradas ilegais.

 

Aproveitando o desenvolvimento tecnológico os americanos decidiram levar para o subsolo robôs capazes de detetarem a presença de seres humanos e objetos. Encontrar passagens deste género que estejam ainda por descobrir, é outra das prioridades, já que nos últimos anos a prática é muito recorrente.

A tecnologia está ao serviço e neste caso vai tentar chegar a locais onde os polícias da fronteira não conseguem chegar, por serem demasiado pequenos. No vídeo que se segue pode ver como estão a funcionar as operações recorrendo aos robôs.

{media load=media,id=301,width=200,align=left,display=inline}

fonte: http://www.tecnologia.com.pt/

value1

Panasonic anuncia produção em série de armadura robótica

armadura-roboticaSe depender da Panasonic, o ano de 2015 deve ver uma pequena revolução no ramo da robótica. A empresa, por meio da sua subsidiária Activelink, está desenvolvendo uma armadura robótica, capaz de amplificar a força humana, que deve ser lançado no ano que vem, a um preço acessível.

A PowerLoader Light será fabricada a partir deste ano, com um ritmo de produção de 1 mil unidades ao ano. Seu preço ficará na casa dos 500 mil ienes, ou R$ 11,4 mil na conversão direta. O valor não é baixo, mas é muito abaixo da média do mercado para a categoria.

Segundo a Agência EFE, o primeiro modelo permitiria levantar e carregar objetos pesados, multiplicando a força do usuário. Ele foi pensado para utilização industrial, em construções ou para retirada de escombros em caso de emergências.

A bateria de lítio seria capaz de movimentar o exoesqueleto por um período de duas a três horas. Ele é capaz de pegar e soltar objetos por meio das empunhaduras e se deslocar com o movimento das pernas.

A velocidade máxima de locomoção seria de 8 km/h, com uma potência de carga de 10 quilos, com outro modelo já está planejado com resistência de 30 quilos.

Trata-se do primeiro exoesqueleto do tipo a entrar em fase de produção em massa, o que outros fabricantes ainda não tinham feito devido aos altos custos.  

Via EFE 

fonte: http://olhardigital.uol.com.br

value1

Apresentadora russa é substituída por versão robótica em programa

roboapresentadora-russaUm programa sobre ciência apresentou em Moscou, na Rússia, a primeira apresentadora robótica do país, que irá comandar as atrações e entrevistas com os convidados substituindo sua “versão” humana (veja o vídeo).

 

“Tuma Urman” foi exibida como a nova apresentadora do programa “Brain Storm”, substituindo a âncora Anna Urmantseva, de acordo com a agência russa de notícias “Ria Novosti”.

Anna afirmou durante o evento que o robô poderá demonstrar diversas "emoções" como surpresa ou alegria, e foi programado para conversar com especialistas e fazer perguntas.

No entanto, Urmantseva revelou que permanecerá por trás da inteligência da máquina, transmitindo sua voz pela internet.

  •  

apresentadorarobo1Exibida na Rússia, Tuma Urman será a primeira apresentadora robótica de um programa de televisão no país (Foto: Reprodução/YouTube/RIA Novosti)