value1

HP lança computador tudo-em-um com scanner 3D embutido

A HP revelou um novo produto nesta quarta-feira, 29, chamado Sprout, um projeto realmente curioso que lembra um pouco os tudo-em-um convencionais com algumas mudanças drásticas, que incluem um par de câmeras de escaneamento em 3D, um touchpad enorme e um projetor acima do monitor, que produz as imagens nesta área de toque.

 

A empresa chama o conceito de “Blended reality”, ou “realidade misturada”, em bom português, porque seu objetivo é unir o mundo físico em 3D com o universo 2D digital. E o foco, claro, são pessoas que dependem da criatividade para trabalhar, já que o Sprout utiliza métodos pouco tradicionais de input: em vez de teclado e mouse, o foco é no toque e em uma stylus.

A tela de LCD de 23 polegadas do computador é o display primário e também é sensível ao toque, mas o touchpad colocado abaixo do projetor também é um display, é o principal modo de interação com o computador.

Com isso, você pode puxar uma imagem do seu acervo na tela principal para o display de baixo para manipulá-lo. Além disso, ao colocar um objeto físico no touchpad, as câmeras rapidamente fazem o scan em 3D para que possa ser replicado em alguma impressora 3D, ou então tratado em algum programa de modelagem.

As câmeras também são capazes de fazer fotos comuns ou então reconhecer o texto de uma página impressa. O projetor também pode criar um teclado virtual para digitar algum e-mail, por exemplo, ou então projetar controles customizados para algum game específico.

A HP diz que o Sprout chega às lojas já no mês de novembro, no dia 9, nos Estados Unidos. O preço não é nada amigável: US$ 1,9 mil, o que, com impostos e conversão do dólar resultaria em muitos reais no mercado nacional.

Via Engadget

fonte: http://olhardigital.uol.com.br/

value1

Empresa anuncia sua segunda arma de metal feita em impressora 3D

Se as armas feitas em impressoras 3D não te assustam por serem de plástico, é melhor repensar. Uma empresa chamado Solid Concepts revelou sua segunda arma de metal totalmente feita com impressão em três dimensões, com o nome Reason.

Tanto este modelo quanto o primeiro, chamado de 1911, foram feitos com um tipo de metal em pó que é derretido para dar formato à arma. Comparando o resultado final em ambos os casos, fica claro que a tecnologia da empresa, adquirida pela Stratasys, evoluiu.

 

No ano passado, Kent Firestone, vice-presidente da Solid Concepts, disse que o conceito foi feito para provar que a tecnologia de impressão em 3D com metal já está avançada ao ponto de criar um produto refinado e sofisticado como uma arma. “Se um consumidor precisar de alguma peça única de uma arma em 5 dias, nós podemos entregá-la”, afirma.

Como dito anteriormente, armas de plástico funcionais já são uma realidade, mas são pouco confiáveis e podem explodir na mão do usuário a qualquer momento. No entanto, utilizando metal a construção é muito mais sólida e segura. Na verdade, o modelo original da 1911, a primeira arma criada pela Solid Concepts já foi disparada mais de 5 mil vezes.

A arma original era vendida pela bagatela de US$ 11,9 mil, mas a empresa ainda não colocou um valor na Reason, que possui um trecho da declaração de independência dos Estados Unidos na lateral.

Via TechCrunch

fonte: http://olhardigital.uol.com.br