value1

Ferramentas Gratuitas de Teste De Sites Para Detectar os Pontos Fracos de Suas Páginas

Ferramentas Gratuitas de Teste De Sites Para Detectar os Pontos Fracos de Suas Páginas

Ferramentas Gratuitas de Teste De Sites ao criar um site com um dos temas, você precisa ter certeza de que ele está funcionando bem. Caso contrário, os visitantes vão deixar de acessar o seu site e nunca mais retornarão. Vamos ser sinceros, ninguém quer esperar as suas páginas carregarem se eles podem ir para outro site e obter o conteúdo necessário sem ter que esperar. Continue reading "Ferramentas Gratuitas de Teste De Sites Para Detectar os Pontos Fracos de Suas Páginas"

value1

Atualização do Google e a queda nas vendas da sua loja

Atualização do Google e a queda nas vendas da sua loja

O Google realizou uma nova atualização em seu algoritmo de buscas. Segundo especialistas em SEO, a mudança vai tornar mais rígidos os critérios relacionados a qualidade de conteúdo, experiência do usuário (UX) e excesso de anúncios. Continue reading "Atualização do Google e a queda nas vendas da sua loja"

value1

O Que é, e como funciona o Google Panda ?

googl-panda-prepareceComo sabem, existem sempre várias mudanças no mundo da internet e de alguns meses pra cá ocorreu uma, que está criando muita polêmica, mais precisamente a partir do mês de fevereiro, onde o GOOGLE lancou o GOOGLE PANDA.

 

Alguns clientes mais atentos, já sentiram os impactos desta mudança, então cabe a mim alertá-los sobre possíveis alterações no que se refere as visitações/ranking provenientes do Google, seja ela gratuita ou paga.

Aproveito a oportunidade para motivar vocês a seguirem em frente, diante de uma situação tão nova e adversa, e por ter percebido que o Panda vem realmente atingido a vários sites, não só de meus clientes, mais no geral, reafirmo a necessidade de estarem sempre procurando investir em serviços que venham a nos ajudar a mantermos as taxas de visitação, garantindo assim qualidade e bons resultados.

O Que é o Google Panda ?

O Panda é um novo algoritmo do Google desenvolvido especialmente para detectar sites com qualidade de conteúdo "superficial ou baixa."
Nas próprias palavras do Google, em 24 de fevereiro:
"...ontem, ou assim que lançamos uma melhoria muito grande no nosso algoritmo de rankeamento, uma mudança impactou visivelmente 11,8% das pesquisas, e queríamos que as pessoas soubessem o que está acontecendo.
Esta atualização se destina a reduzir os rankings de sites de baixa qualidade, baixo valor agregado para os usuários, cópias de conteúdo de outros sites ou sites que não simplesmente não são muito úteis.
Ao mesmo tempo, proporcionará uma classificação melhor, de alta qualidade de sites com conteúdo original e informativo, tais como de pesquisas, relatórios em profundidade, análises ponderadas e assim por diante.
Não podemos fazer uma melhoria significativa, sem afetar os rankings de muitos sites. Pode ser que alguns sites vão subir e alguns descer. O Google depende de conteúdo de alta qualidade, criado por sites maravilhosos no mundo todo, e temos a responsabilidade de promover um ecossistema saudável na web.
Portanto, é importante que sites de alta qualidade sejam recompensados, e foi exatamente isso que essa mudança trouxe."
Se um site está sob a penalização do Google Panda, perderá seu ranking nas páginas de resultados de pesquisa do motor e vai perder uma parte significativa do tráfego que vem do buscador.
panda

Se um site é atingido pelo Panda e utiliza publicidade, em especial, o Google AdSense, o impacto econômico negativo pode ser muito grande, uma vez que tais anúncios especificamente dependem do tráfego do motor de busca.
Aliás, em alguns casos, você só pode ver o impacto do Panda, se observar uma queda abrupta e muito significativa nas receitas do AdSense, assim como a perda específica em rankings por palavras-chave específicas

Fonte: Blog Oficial do Google

O Que o Google Panda Está Realmente Buscando

a) fornecem pouco conteúdo valioso
b) produzem ou produziram muitas notícias curtas
c) esquecem páginas de conteúdo superficial
d) tem dezenas ou centenas de tags ou categorias
e) raspam, copiam ou reproduzem sem autorização

Como o Google Panda Funciona

Aparentemente (já que não há nenhuma maneira oficial de descobri-lo com o Google), o Google Panda funciona dando pontuação "negativa" para alguns sites e, em seguida, aplicar uma penalização "maiúscula" sobre todo o site, se um certo limite de pontos for atingido.
Sob esta luz, a primeira coisa fundamental a entender, antes de começar a disparar contra o Google por ter seu site penalizado pelo Panda, é que a pena do algoritmo é desencadeada por uma combinação de fatores, e nunca por um único fator isoladamente.
O outro fator importante a se entender, é que o Panda não opera em tempo real. Pelo menos, não por agora.
Portanto, por enquanto temos que esperar até a próxima vez que o Google decida atualizar o algoritmo e as SERPs em conformidade. As atualizações já aconteceram, pelo menos, duas vezes: quando o Panda foi lançado em 24 de fevereiro, e a segunda vez, em 11 de abril.
Quando a próxima atualização importante estiver chegando, e quando o Google Panda vai atingir sites em outros idiomas, além do inglês, ninguém sabe, mas não deve demorar muito antes que as coisas se agitem novamente.

 

value1

Google favorece sites com páginas no Google+ e cliques +1, revela pesquisa

A Tasty Placement, empresa americana especializada em marketing digital, divulgou uma pesquisa sobre como a presença em mídias sociais altera o posicionamento da marca no ranking de buscas do Google - fundamental para qualquer site.

Para realizar o estudo, a Placement criou seis sites semelhantes - um ficou como controle, e os outros cincos utilizaram como meio de divulgação apenas uma rede social. Dez meses depois, foi analisado o impacto que cada mídia teve sobre o ranking do Google.

 

Como era de se esperar, a mais relevante foi o Google+. O site que utilizou somente a rede da empresa de buscas para divulgação teve aumento médio de 14,6 posições no disputado ranking.

Na sequência, o que mais pessou foram votos no botão +1, com aumento de 9,44 posições em média. Depois, o Facebook (6,9), Twitter (tuítes e retuites), com 2,88 posições. O pior resultado foi o do site cujo único foco foi aumento de seguidores no Twitter, que caiu 1,2 posição, em média.

Curiosamente, o site-controle, que não fez qualquer atividade social, manteve-se inalterado no ranking.

De acordo com a empresa, o estudo revela a importância crescente que o Google está dando a sua própria rede e às interações via botão +1, o que pode ser um fator importante na batalha da empresa contra o poder crescente do Facebook na Internet.

Veja o infográfico detalhando a pesquisa:

google-favorecepaginas-google-plus

FONTE: http://idgnow.uol.com.br

Analytics: como antecipar as necessidades dos clientes

A mudança de comportamento dos clientes e sua busca por experimentação tem impacto nos mercados de todo o mundo. Desde a crise de 2008, muitas companhias vêm sofrendo com a opção dos clientes de mudarem seus fornecedores. A instabilidade em todo o mundo colocou a prova a confiança dos consumidores, com especial atenção para os segmentos de varejo e finanças.
 
Para os bancos o cenário é ainda mais desafiador, pois as pessoas têm fácil acesso à informação sobre as opções disponíveis, com taxas e serviços muitas vezes similares. Nesse cenário, uma ferramenta estratégica é o Analytics. A análise em tempo real e um histórico de dados e informações permite aos bancos melhorar a eficiência, gerenciar riscos e aumentar a receita, além de conhecer a fundo cada estágio do ciclo de vida do cliente. Segundo um estudo da Accenture, os bancos podem usar Analytics para:
 
    http://files.cio.com.br/imagens/bullet_square.gif); margin-top: 0.5em; margin-left: 1.5em; outline: rgb(0, 0, 0); line-height: 1.5em; color: rgb(0, 0, 0); font-family: verdana; font-size: 12px; ">

  • - Identificar os segmentos de alto valor de mercado;
  • - Personalizar as ofertas de produtos para atender às necessidades dos clientes;
  • - Realizar uma qualificação dos clientes para serviços como empréstimos;
  • - Recomendar novos produtos de acordo com as circunstâncias dos clientes;
  • - Estudar os canais de distribuição para atender às preferências dos clientes.
 
O resultado dessa combinação de fatores é um alto retorno financeiro com clientes pré-qualificados para os produtos que eles querem ou precisam. Além disso, os bancos são capazes de oferecer produtos usando os canais de preferência dos próprios clientes.
 
Os departamentos de marketing, canais, produtos e segmentos podem utilizar Analytics para praticamente todos os processos deCostumer Relationship Management (CRM) dentro das instituições financeiras. Com essa plataforma é possível trabalhar com agentes de crédito que identificam oferta de produtos adequados ou adaptados, precisamente, para as necessidades do cliente e usar a análise de pré-qualificação desses clientes para realizar o empréstimo.
 
Analytics também pode ajudar os bancos a detectar eventos críticos na vida de um cliente, que podem indicar uma mudança de circunstâncias e a necessidade por novos produtos ou serviços. Isso se estende para além do simples perfil de estilo de vida. O objetivo é olhar para reais mudanças de comportamento como uma promoção no emprego, o nascimento de uma criança ou quando um filho deixa o lar para ir à faculdade, ou ainda quando há um aporte atípico em uma conta corrente. Com essas informações é possível realizar uma análise precisa da rentabilidade do cliente e desenvolver um cruzamento de oportunidades eficiente.
 
Um banco que utiliza uma abordagem convencional de CRM pode acabar ignorando esses detalhes estratégicos ou não conseguir agir sobre eles, assim, perder informações valiosas que poderiam ser transformadas em oportunidades de ofertas relevantes para os clientes. O fato é que para entender o cliente não basta apenas classificá-lo como casado, 46 anos, com três filhos e renda de R$ 6 mil por mês. É preciso conhecer seus hábitos, acompanhar as mudanças da sua vida, antecipando suas necessidades.
 
(*) Daniel Lázaro é gerente sênior para a prática de Analytics e Gestão da Informação da Accenture na América Latina.
O artigo foi baseado no estudo da Accenture “Knowing the costumer: this time it’s personal”. 
 
fornte: http://cio.uol.com.br
value1

Erros do SEO: conheça vacilos que “escondem” seu site no Google

otimização-de-sites1-300x200Para quem tem um site ou blog, o Google pode ser um grande aliado. Para quem está começando, a maior fonte de visitas são as pesquisas (salvo raras exceções em que o dono do site é muito popular em redes sociais). Porém, você também tem que ser um aliado do buscador. E aí começam os problemas…

 

Por causa de detalhes, muitos sites acabam perdendo posições valiosas no Google. São coisas que passam despercebidas pelas pessoas que ainda não conhecem SEO (entenda o que é SEO) ou que são fruto do exagero por quem deseja usar ferramentas de forma errada. Veja cinco desses erros:

Escrever títulos subjetivos em textos: um dos maiores erros de quem tem um site é registrado na hora de colocar títulos em postagens. Como o Google trabalha diretamente com palavras-chave, é muito importante colocar um título descritivo em um texto. Muitos iniciantes escrevem títulos como “Que absurdo” em textos para reclamar de empresas de telefonia. Provavelmente, ninguém vai chegar a ler essas reclamações.

Para fazer um título que seja bom para o Google, pense em duas coisas: qual é a palavra principal do seu texto e a ideia. Veja o exemplo deste próprio texto. Ele fala de SEO e aponta os principais erros. Logo o título usa as palavras erros e SEO. Deixe os títulos mais subjetivos para escrever um poema ou uma música para o seu amor.

Não marcar tags importantes (ou exagerar no número delas): a tag (marcador) de um texto é um recurso que pode ser muito eficaz se bem utilizado. O maior erros dos iniciantes é não usá-lo. Cada vez que você deixa de usar uma tag, você deixa de destacar alguns termos do seu texto.

Por outro lado, não adianta encher o seu texto de tags. Se você exagerar nos marcadores, raramente vai conseguir destacar alguma palavra. Fórmula mágica: use a palavra principal do seu site, mais a palavra principal do texto (até duas) e um conjunto (de duas ou três) palavras compostas. Em um texto como este, boas tags poderiam ser: UOL Tecnologia, SEO, Otimização de sites, dicas de SEO e erros de SEO.

Não usar links internos: A linkagem interna não é útil apenas para SEO. Os links são um dos elementos que ajudam a tornar um texto na internet totalmente diferentes dos feitos no impresso. Não aproveitar o recurso é desperdiçar umas das melhores coisas da web. Infelizmente, algumas pessoas não sabem disso.

Se você acha que links internos deixam um texto “feio”, aqui vai um motivo mais prático para você começar a usá-los. O Google dá mais valor para páginas que recebem links. Então, se você criar links internos, vai estar ajudando outra página do seu próprio site. O ideal é linkar as palavras-chave dentro do texto (como no exemplo que está no segundo parágrafo do “O que é SEO”)

Usar muito flash ou Java nas páginas: Existem alguns recursos que deixam sites “lindíssimos” (ou não) e que são feitos em Flash ou Java. Algumas pessoas abusam deles. Há dois grandes problemas nisso.

O primeiro é que eles tendem a deixar os sites mais pesados. Além de um site lento ser um teste de paciência para os visitantes, o Google pode puni-lo. Explicando de forma bem simples: o Google tem um robô que vasculha todos os sites do mundo (ou quase todos) para ver se há atualizações, quais são as palavras-chave etc. Se a sua página demorar para carregar, o robô vai embora sem coletar esses dados.

O outro problema é que Java e Flash não são indexados pelo Google. Ou seja, se você escrever um texto e colocar em Java, o robô (sempre ele) não vai reconhecer. E aí o Google vai ignorar o seu site. Por isso, Java e Flash só com moderação.

Errar no nome do site: o último dos cinco erros citados (pode ter certeza que existem muito mais) é o da escolha do nome errado para um site. Entenda nome errado por nomes muito longos ou que não descrevem o conteúdo. O grande problema disso é que se trata de uma falha que não pode ser desfeita. O ideal é fazer uma boa pesquisa antes de batizar uma página na internet.

Por Edgard Matsuki

value1

Manual básico para melhorar a posição do site nos mecanismos de busca

É fundamental para quem se interessa em SEO, é saber o que significa SEO – Search Engine Optimization – Otimização de sites para mecanismos de busca. Que na realidade é um conjunto de regras e procedimentos que tentam “valorizar” o site de para que ele fique mais relevante, conseqüentemente suba para os primeiros lugares, quando se pesquisa determinadas palavras chave em um mecanismo de busca.

 

 

 

A vantagem disso é notória, ele tende a ser mais visitado, pois aparece primeiro que seus concorrentes.

 

Mas o quem são os concorrentes? Em SEO, os concorrentes são todos os sites que competem com o seu. Aparecem acima e abaixo do seu site nas páginas de pesquisa de um mecanismo de busca, quando se utiliza uma determinada palavra chave. Ou seja, o seu site pode ter milhões de concorrentes, e concorrentes diferentes para diferentes palavras chave.

 

Muitos desenvolvedores de página ignoram ou desconhecem as técnicas de SEO (ler: Os maiores erros do webdesign ), e produzem sites, totalmente irrelevantes para os serviços da empresa e que na realidade tem potencial de trazer muitos visitantes, e o mais importante, mais clientes.

 

Por causa dessa falha, são obrigados a utilizar campanhas publicitárias ou outras técnicas de marketing, muitas vezes menos eficientes. A intenção do SEO é não competir com, por exemplo, os links patrocinados, mas ser uma boa alternativa para os sites que não tenham dinheiro para fazer uma campanha de grande porte. Se tiver dinheiro, melhor, mas o SEO continua indispensável da mesma forma, pois mesmo quando a campanha acabar o site continuará recebendo acessos.

 

A Internet atualmente é dominada por apenas 4 grandes grupos que detem a grande maioria de pesquisas no Mundo, inclusive aqui no Brasil.

 

Pela ordem de importância teremos: Google, Yahoo e LIVE(MSN) da Microsoft e finalmente o ASK que não tem muita influência no nosso país. Na realidade um SEO, deveria ser direcionada para cada um deles de forma diferente, ou seja, fazer páginas relevantes diferentes para cada um deles, pois cada um tem características diferentes e utilizam formas de rankeamento (posicionamento) de sites diferentes.

 

Mas o SEO se for bem feito, e se for seguido regras simples e básicas, trará o beneficio para as paginas do site para todos esses mecanismos.

 

Muito bem, vamos dar um tempo nas definições e vamos começar

 

Vou produzir um site (ou uma página do site):

 

"o que é mais importante no momento?"

"o que tenho de fazer agora?"

 

A primeira coisa a fazer, antes mesmo do layout, a partir do foco do site é verificar quais as palavras chave relevantes. Fazer uma lista inicial (6 a 10 palavras chave) e verificar quais delas poderão ser utilizadas. Bem, provavelmente não serão exatamente estas palavras que será publicado no site, pois como veremos essa lista poderá sofrer algumas modificações.

 

1. PALAVRAS CHAVE, como achar as melhores.

 

A primeira ferramenta que deverá ser utilizada será a de Palavras Chaves e se baseia em informações do Google e Yahoo.

 

Essa ferramenta retorna gráficos porcentuais que nos mostram:

 

Mês. Mostra a porcentagem de pesquisas dessa palavra feita no mês anterior

 

Média. Mostra a porcentagem de pesquisas dessa palavra feita por ano.

 

Anúncios. Mostra a porcentagem da quantidade dos anúncios no Google ao se utilizar os Links Patrocinados

 

Custo/Clique (CPC). Mostra a porcentagem do custo financeiro para se fazer uma campanha utilizando os Links Patrocinados do Google

 

Insira a sua primeira palavra na ferramenta e verifique o resultado. Como exemplo iremos simular uma pesquisa de palavra chave para um site de um serviço que vende ventiladores, portanto nossa palavra chave será ventilador.

 

clip-image0029

 

No gráfico acima, percebemos algumas coisas interessantes.

 

Normalmente a estatística de pesquisas por mês e anual sempre seguem porcentagem parecidas. O que importa realmente nelas é o tamanho da quantidade da pesquisa, ou seja, quanto mais verde melhor, mais pesquisada é a palavra.

 

As modalidades Anúncios e Custo/Clique são úteis para quem pretende fazer uma campanha com os Links Patrocinados, ou Blogueiros procurando por nichos lucrativos. E que não nos cabe discutir nesse artigo.

 

Normalmente palavras simples como VENTILADOR são difíceis para obter um bom posicionamento. Em razão de que  o número de sites que contem palavras simples normalmente são muito grandes e, portanto a concorrência é maior.

 

Por exemplo, palavra chave ventilador no Google retorna 8.800.000 sites que contem essa palavra.

 

É possível tentar brigar com eles por essas posições, mas é mais fácil utilizar outra estratégia mais adequada.

 

É loucura, por exemplo, competir com gigantes da Internet como a palavra chave Windows e desbancar a posição da Microsoft, ou com a palavra chave senadores e competir com o site do Senado Federal.

 

A sugestão é procurar por palavras chaves compostas por duas ou três palavras. Normalmente, essas palavras embora, não tenham o fluxo de pesquisa igual a uma palavra simples, mantem um bom fluxo, e quando bem combinadas podem chegar a ter a mesma eficiência das palavras principais.

 

Continuando o nosso exemplo, eu pessoalmente escolheria duas palavras chaves interessantes baseando-se no gráfico acima: Ventilador parede e Ventilador teto. E faria uma busca no Google para verificar a quantidade de sites que possuem tais palavras.

 

Palavra-chaveNúmero de sites que contém a palavraConcorrência
ventilador8.800.000Alta
ventilador parede295.000Média
ventilador teto309.000Média

 

Isso deve ser feito palavras chaves que foram escolhidas no inicio. Evidente que é um trabalho um pouco cansativo, mas sem duvida, trará excelentes benefícios para o site.

 

2. Construindo o conteúdo dentro do contexto das palavras-chave

 

Um site só é bem posicionado nos mecanismos de busca se tiverem, alem de outras coisas, um conteúdo textual relevante.

 

Mas o que é isso? Os mecanismos de busca não vêm nada no site ou na página a não ser textos. Não vêm figuras (apenas os textos que estão nas Tags ALT de cada link de imagem), nem flash, nem vídeo, nem som.

 

Isso não importa em nada para o bom posicionamento.

 

É relativamente fácil fazer uma página com bom conteúdo textual num site sem páginas dinâmicas. Mesmo que ele seja dinâmico, é sempre indicado fazer uma página de abertura com o conteúdo textual relevante para que seja bem indexada pelos mecanismos. Se o site (página) tem conteúdo totalmente dinâmico como por exemplo um site de vendas de produtos, nada impede que se tenha uma pequena parte do site com um bom conteúdo textual fixo que aumente sua relevância para posicionamento.

 

No inicio praticamente não existiam sites de vendas on-line com otimização para mecanismos de busca. Hoje os maiores sites como da Americanas, Buscapé, BomFaro, Submarino, etc.. já são construídas para, dinamicamente, terem algumas características básicas para SEO, que as empurram normalmente para o topo das páginas de pesquisa.

 

Voltemos ao tópico…

 

Baseando-se nas suas palavras chave, tem que se construir um texto que as repita algumas vezes, aumentando assim a sua densidade (Densidade da Palavra Chave).

 

Para esse artigo criamos um texto relevante para essa palavra chave, utilizando a ferramenta de Relevância de Texto do SubmiTAY, até chegar a um resultado satisfatório. O texto segue a seguir:

 

———————————————————

 

As casas Furacão representam os Ventiladores de teto Tempestade, os melhores do Brasil.

 

O modelo Ventilador Teto T1 é robusto e seguro.

 

Características Técnicas - Ventilador Teto T1

 

- Laminas em aço reforçado em várias cores

- Área de ventilação 85 cm

- Fixação automática

- O mais leve do mercado

 

Características Técnicas - Ventilador Teto T2

 

- Laminas em aço reforçado em várias cores

- Área de ventilação 95 cm

- Fixação automática

- O mais robusto do mercado

 

Essas características fazem os modelos Ventilador Teto T1 ou Ventilador Teto T2 a sua melhor escolha.

 

———————————————————

 

O resultado obtido é mostrado na figura abaixo:

 

clip-image00211

 

Verifique pelo resultado da ferramenta que conseguimos alta relevância no termo que queríamos Ventilador Teto.

 

Mas cuidado, não force muito, modifique o texto se aparecer um resultado como abaixo:

 

clip-image002

 

Isto indicaria que essa palavra ultrapassou os limites permitidos e poderá ser penalizada.

 

Mas é apenas isso? Não, isso é só o inicio.

 

A densidade das palavras chaves é um item básico para otimização, que se dá apenas por repetição, aproximação entre as palavras, etc… Mas podemos aumentar ainda mais sua relevância se seguirmos as regras abaixo.

 

As palavras chaves ficam sempre mais relevantes, para os mecanismo de busca, se:

 

Estiverem dentro do domínio de um site.

 

Ex: http://www.ventilador-teto.com.br

 

A pagina relacionada levar o nome da palavra chave:

 

Ex: http://www.ventilador-teto.com.br/ventilador-teto.html

 

Estiver no titulo da página (Código html):

 

Ex: Ventilador Teto - Lojas Furacão

 

Estiverem descritas nas Meta Tags de descrição (Código html):
Ex; <meta name="description" content="Casas Furacão são especialistas
na venda e assistência de ventilador de teto." />

 

Estiverem descritas nas Meta Tags de palavras chaves (Código html):

 

Ex: <meta name="keywords" content="ventilador teto, ventilador parede, ventiladores, ventilador" />

 

Estiverem presentes nos títulos internos das páginas, sempre o mais próximo possível do inicio da página ( Código html, perto da Tag <body>, utilizando a Tag Header <h1>,<h2>, etc…)

 

Ex: <h1>Ventilador de Teto</h1>

 

Estiverem no texto (conteúdo textual) do primeiro parágrafo (ou o mais próximo possível) do inicio página.

 

Ex: “As casas Furacão representam os Ventilador de Teto Tempestade, os

 

melhores do Brasil”

 

Estiverem as palavras chave marcada com negrito (Código html):.

 

Ex: : “A casa Furacão representam os <b>Ventilador de Teto</b> Tempestade, o melhor do Brasil”

 

Estiverem presentes em links dentro do corpo da página (Código html):

 

Ex: <a href="http://www.tempestade.com/208/artigo100.html">Ventilador de teto – Tempestade</a>

 

Estiverem presentes dentro das tags ALT que descrevem as imagens na página (Código html):
Ex: <img src="/imagens/ventilador-teto-tempestade.gif" alt="Ventilador Teto" title="Ventilador Teto"/>

 

Para facilitar a vida dos produtores de conteúdo o SubmiTAY disponibiliza o Otimizador Básico de Páginas para fique mais fácil a geração de títulos, palavras chaves, url e das meta tags mais importantes de forma mais legível aos mecanismos de busca.

 

clip-image0027

 

Utilizando as regras acima, muitos “gurus” de SEO poderão a vir criticar dizendo que algumas delas não são mais usadas, principalmente no Google.

 

Mas gostaria de ressaltar que a idéia proposta é fazer um SEO genérico que inclua o básico dos quatro maiores sistemas de busca que citamos acima.

 

Outro detalhe importante que seria interessante discutir seria os problemas de layout que ao utilizar os padrões de html, alguns considerados antigos como as tags Header acima e que podem dificultar na implementação do layout.

 

Como exemplo, o designer talvez não achasse interessante colocar alguns textos em locais que recomendamos. A solução é a construção das páginas com CSS ( Cascate Style Sheet) que dá muito mais poder de formatação que o simples html, pois é possível fazer uma pagina no nosso padrão e com CSS mudar as posições totalmente para o layout, ou seja teria duas formas com o mesmo conteúdo textual, uma que seria vista pelos Mecanismos de Busca no padrão sugerido e outra totalmente diferente, com o layout bonito, para os visitantes.

 

Usando CSS você também garante acessibilidade pois os leitores de tela (Popularmente conhecidos como leitores para cego), conseguem ler corretamente o site.

 

O SubmiTAY pretende em breve disponibilizar um serviço relacionado para facilitar a vida dos desenvolvedores.

 

3. O que pode ser feito para melhorar ainda mais o posicionamento.

 

Bem, ainda existe muita coisa para se fazer para melhorar o posicionamento do site. São muitas estratégias que se pode utilizar para cada vez mais aperfeiçoar o nosso objetivo.

 

Estudar o “inimigo” é uma ferramenta imprescindível. Sempre verificar as razões porque os seus concorrentes estão melhor posicionados que o seu site, para achar as suas falhas para poder ultrapassá-los

 

Mas, o que se tem que olhar no concorrente para ver a razão de seu

 

sucesso? Daremos uma pequena lista de sugestões:

 

A popularidade do inimigo.

 

Isso pode ser feito por algumas ferramentas. Verificando-se quantidade de links reversos, no SubmiTAY temos uma especifica para isto, Links Reversos. Que fornece a quantidade de links de outros sites que apontam para o site do concorrente.

 

clip-image001

 

Onde pontos significam quantos links reversos apontam para a página pesquisada.

 

Quanto mais links reversos, mais o site é popular, e ficará mais difícil ultrapassá-lo, (mas não impossível).

 

Alem da popularidade, outro ponto é a qualidade desses links reversos. Uma boa forma de verificar isso é consultando qual o Page Rank do site que é dado pelo Google. Sites com Page Rank de 4 ou acima, normalmente tem links reversos de sites de qualidade, antigos e com bom conteúdo.

 

4. Cadastro de sites em serviços relevantes para o idioma Português

 

Um bom caminho a seguir ao aplicar todas as técnicas acima é divulgar o conteúdo do site a sites relacionados, no mesmo idioma. É menos eficaz enviar o site para serviços e mecanismos de busca estrangeiros pois a quantidade de pessoas que falam português nestes sites é muito pequena. Ao invés disso, procure divulgar sua página em sites que falem o mesmo idioma que o seu, ao fazer isto, você garante um tráfego adicional. No SubmiTAY por exemplo, apesar de estarmos posicionados em primeiro lugar com muitas palavras-chave, 25% do tráfego vem dos mecanismos de busca, e 25% vem de sites do nosso idioma, que falam de nós. Sites que indicam link, revistas, etc…

 

Em razão disso temos um dos serviços pagos que é mais utilizado.

 

Cadastro de Sites em mecanismos de busca.

 

A finalidade do cadastramento não é única. Facilita o seu trabalho enviando o pedido de inclusão para vários mecanismos de busca, incluindo aqueles manuais que você precisa preencher um a um, e ainda colocar o código de segurança (Aquelas imagens chatas).

 

Assim, temos uma série de vantagens, pois a ferramenta é direcionada:

 

  • Os Mecanismos que são Responsáveis por 90% do idioma Português
  • Os que trazem Aumento de Acessos e Agregamento de Valor
  • Os mais Populares da Língua Portuguesa
  • Os que são Internacionais Relevantes
  • Os que ajudam na Construção de Links

 

clip-image00213-thumbÉ indiscutível que o cadastro lhe aumenta sua popularidade, mas é apenas um item inicial de um trabalho de popularização do site.

 

É extremamente importante fazer outros sites apontarem para o seu. Fique claro que é essencial que quanto mais popular o site que lhe apontar mais significativo será para aumentar seu rank nos posicionamentos.

 

Assim, quanto maior o page rank do site que te apontar, maior será o seu page rank. Alem do que é muito significativo que essa troca de links seja feito principalmente com sites que tenham conteúdo semelhante ao seu.

 

5. Modelagem de PageRank

 

Em um nível mais alto de SEO, disponibilizamos a ferramenta Assistente de PageRank , que é uma ferramenta tipo case voltada para ranking.

 

Essa ferramenta esta em versão beta (testes), mas faz a projeção de como se conseguir a melhor forma na estrutura do seu site para conseguir trazer o melhor PageRank possível para suas páginas de entrada.

 

É inédita no mundo, se baseia no algoritmo de PageRank do Google. Em breve será disponibilizado um artigo explanando como usá-lo de uma forma efetiva, que facilitará sua compreensão pelos desenvolvedores.

 

clip-image00215-thumb6. A qualidade do inimigo

 

Olhar o conteúdo do concorrente é fundamental. Olhar as técnicas de SEO que ele utilizou, pois muitas vezes quase ou nada foi utilizado. Então as utilizar, principalmente as que propomos acima, o seu site tem grande chance de ultrapassá-lo sem muito esforço.

 

Mas se site concorrente tiver um bom SEO, uma das primeiras coisas a fazer brigar contra o seu bom conteúdo textual. É necessário verificar esse conteúdo na Ferramenta de Conteúdo, verificar as suas palavras chaves fortes e tentar suplantá-lo com a de Relevância de Texto.

 

A publicação do seu site com o conteúdo textual melhor e melhor otimizado dará uma maior chance de um bom posicionamento.

 

——————————————-

 

Finalmente, esperamos que esse artigo traga alguma luz para quem tem pouca experiência em SEO. Em breve voltaremos com mais detalhes e novidade sobre o assunto.

 

Cadastro de sites: Entenda os mecanismos de busca

Este artigo aborda um tema muito procurado pelos webmasters. Nele iremos mostrar como funciona o cadastramento de sites nos mecanismos de busca. Desde o processo inicial até a indexação, que é quando o seu site já começa a aparecer quando alguém faz uma pesquisa.

 

 

 

A importância de seu site estar relacionado em um mecanismo de busca.

 

Como existem centenas de milhões de páginas na internet, eles foram criados para tentar por fim ao caos, e se conseguir achar aquilo que se procura. Embora eles não consigam relacionar todas as páginas que existem na rede, eles ainda são os mecanismos mais eficientes para se achar algo. É impossível se pensar em internet sem pensar nesses serviços.

 

Como os mecanismos de busca funcionam

 

Tipos de Mecanismos de busca

 

Existem quatro tipos básicos de mecanismos de busca, e cada um deles funciona de maneira diferente.

 

Diretórios ou Catálogos (Directory)

Foram os primeiros mecanismos de busca, são de uma época que a internet não tinha as dimensões atuais, portanto tem dificuldades de catalogar um grande número de sites, relacionando-os com seu conteúdo.

São armazenados endereços dos sites em diretórios que são classificados por categorias. Normalmente os documentos são catalogados pelos administradores do serviço, ou pelos próprios usuários diretamente ou solicitando seu cadastramento. As pesquisas nesses sites podem ser feitas pelas categorias, procurando o objeto da pesquisa dentro se seus diretórios, ou por palavras-chave para pesquisar diretamente em seu banco de dados.

Esses sistemas não são muito espertos, e podemos se aproveitar dessa fraqueza para tentar forçar que o nosso site se aproxime dos primeiros a serem listados nas pesquisas.

Eles são deficientes quando se quer encontrar um determinado assunto que não o padrão, como por exemplo procurar um nome cientifico de algum ser vivo. O diretório retornará muito menos resultados que em um outro tipo de mecanismo de busca mais avançado.

Em compensação eles são ótimos quando se quer procurar sites com bom conteúdo, como de musica, notícias, jogos, etc…pois o seu banco de dados normalmente é bem selecionado.
Os diretórios quase nunca indexam todas as palavras que existem dentro de um documento, normalmente se limitam ao título, descrição e palavras chaves enviadas quando do cadastramento.

Um exemplo desse tipo de sistema brasileiro é o Cadê?, de um americano o Yahoo!, embora esse ultimo já tenha migrado para outro nível.

 

Motores de Busca (Search Engines, Robots, Crawlers, Spiders)

São bases de dados construídas a partir de pesquisa eletrônica. Ou seja, programas chamados de robots buscam continuamente as novas páginas da rede. Pesquisam nessas novas páginas os links para outras páginas e continuamente vão alimentando seu banco de dados com novos documentos. Além disso, os mesmos robots verificam as páginas que não são mais válidas apagando os links que não estão mais disponíveis.

Utilizam os mais variados algoritmos para essa indexação, e normalmente capturam o conteúdo do site que é armazenado na sua base de dados.

Se preocupam em conseguir armazenar a maior quantidade possível de dados, e não se importam muito com a qualidade dos sites. São os mecanismos de busca que tem a maior quantidade de documentos catalogados, algumas vezes ultrapassando o número de centenas de milhões de páginas.

São próprios para se localizar qualquer tipo de pesquisa, sendo que sua relevância no retorno se dá pela maior quantidade de dados que se fornece para se fazer a pesquisa.

Normalmente permitem que se cadastre nesses sistemas, mas apenas se indicando a página de entrada do site que ele automaticamente irá catalogar as páginas restantes.

Uma das características interessantes nos Motores de Busca é relacionado com o tipo de software utilizado. Por exemplo, os brasileiros RadarUol, Starmedia e Globo.com utilizam o software da empresa americana Inktomi. Isso causa uma semelhança muito grande nas respostas o que indica que embora os serviços sejam diferentes, parecem que a base de dados é muito semelhante.

Excetuando-se essa particularidade, normalmente as pesquisas nos diferentes Motores de Busca resultam em conteúdos diferenciados, e uma pesquisa mais detalhada só pode ser feita se utilizarmos os vários sistemas.

 

Híbridos

Para poder servir o usuário com uma maior variedade e qualidade, os sistemas estão mesclando essas características. Assim o Lycos, quando não encontra um dado no seu banco de dados encaminha a sua pesquisa ao Open Directory, o mesmo faz o HotBot, o Altavista e o Excite com o LookSmart, e o Yahoo com o Inktomi.

 

Meta Buscas (MetaSearchs)

Estes sistemas se baseiam na pesquisa de mais de um Diretório ou Motor de Busca ao mesmo tempo. Normalmente é feita a pesquisa em cima de um assunto, tipo de documento ou mídia em particular, consultando os vários outros mecanismos de buscas. Utilizam-se palavras-chave para se desencadear a pesquisa que mostra todos os resultados obtidos, simultaneamente.

Os Meta Buscas não devem ser considerados para o cadastramento de sites, pois não contém banco de dados próprio. Mas são eficientes quando se quer um resumo daquilo que os outros sites contem. Com raras exceções, a relevância na pesquisa é dada normalmente pelos sites em que eles fazem a pesquisa.

 

Como é o processo de inclusão de uma URL

 

O processo de inclusão de um novo site na Internet é, em geral, lento. Seja pelo modelo de diretório ou pelo modelo automático, ao fazer um cadastro, você vai para uma lista de espera, que fica ali aguardando uma aprovação ou processamento. Não espere incluir seu site e ser listado no dia seguinte, embora haja técnicas que façam isto acontecer, você ainda precisará de muito trabalho para ter um bom posicionamento.

 

Como fazer os mecanismos de busca entenderem melhor a sua página no processo de cadastramento de sites

 

Escolha cuidadosamente suas palavras-chave

 

Escolher uma boa palavra-chave é fundamental para aumentar os seus acessos. Faça uma pesquisa usando uma ferramenta de palavra-chave e veja quais palavras possuem uma boa quantidade de consultas mensais.

 

Você deve usar estas palavras no título, na descrição e no texto da sua página, aumentando assim a relevância do documento em relação a ela e consequentemente, tendo mais chance de aparecer quando alguém estiver procurando pelo assunto na internet.

 

O que são MetaTags e por que você deve usar

 

Meta tags são pequenas tags htmls que você coloca no topo do código da sua página. Elas são usadas para controlar como vai aparecer a descrição do seu site em mecanismos como Google, Yahoo, Busca do MSN, Altavista e outros.

 

Existem dois tipos de tags que você deve usar:

 

Description. É a meta tag de descrição, responsável pela descrição do seu site na listagem, geralmente aparece quando é feito uma busca exata pelo nome da página ou empresa.

 

Keywords. São as palavras-chaves que a página contém. Ajudam a aumentar a relevância do texto em relação a um determinado texto.

 

Title. É o título do site, esta MetaTag não é mais usada por muitos mecanismos de busca, mas você deve usá-la para manter a compatibilidade com os sistemas antigos.

 

Para usar as MetaTags, você deve adicionar o seguinte código, entre as tags <HEAD> e </HEAD> da página em questão, como no exemplo abaixo:

 

 1: <HTML>

 

 2: <HEAD>

 

 3: <TITLE> TAY Meta Pesquisa - Sites em Português </TITLE>

 

 4: <META NAME=”description” CONTENT=”O Tay é um Sistema de Busca - Meta Search - que pesquisa em vários mecanismos de busca.”>

 

 5: <META NAME=”keywords” CONTENT=”Achar Busca Guia Internet Pesquisa Procura Search Software Submit Noticia Notícia Tay Cadastro Entretenimento Informação Informações Lazer Meta Serviço Servico”>

 

 6: <META NAME=”title” CONTENT=”TAY Meta-Pesquisa”>

 

 7: </HEAD>

 

 8: <BODY>

 

 9: </BODY>

 

 10: </HTML>

 

Para ficar fácil, localize a tag <HEAD> no sua página, e cole o seguinte código:

 

<META NAME=”description” CONTENT=”Coloque sua descricao” />

 

<META NAME=”keywords” CONTENT=”Coloque suas palavras chaves” />

 

<META NAME=”title” CONTENT=”Copie o titulo da tag title” />

 

Substitua os textos dentro de CONTENT pelas sua descrição, palavras-chave e por último, coloque o título, copiando exatamente o que está escrito entre as tags <title> e </title>.

 

Preste atenção no título, nas chamadas de links e no nome do arquivo html que você estiver criando

 

O título da sua página deve ter relevância com o assunto principal, você deve por nomes sugestivos e de preferência, usar a sua palavra-chave principal.

 

Jamais coloque o mesmo nome em todas as páginas de seu site, isto vai prejudicar, e muito, a listagem dele nos mecanismos de busca. O ideal é ter um título diferenciado para cada página.

 

Veja no nosso site como fazemos isto. Na página principal, colocamos o nosso segmento principal, seguido do nosso nome: “Cadastro de Sites - SubmiTAY”. Em uma página de ajuda, você deve por: “Ajuda do SEUSITE”, em uma página de produto, deve por: “Produtos do SEUSITE”, em uma página de subproduto, ex, Impressora, deve por: “Impressora - Ofertas Imperdíveis - SEUSITE”.

 

Escolhem bem o seu título garante uma visitação diária vinda dos mecanismos de busca.

 

Ao salvar a sua página no Editor HTML, procure colocar um nome completo, separado por hífen. As categorias do seu site devem estar dentro de diretórios, com bons nomes também.

 

Veja um exemplo, usando um site de motos:

 

Página Principal - index.html, index.php, index.asp, …

 

Página de Motos - /motos/

 

Moto Titan CG ES - /motos/moto-titan-cg-es.html, /motos/moto-titan-cg-es/, /motos/moto-titan-cg-es-partida-eletrica.html

 

Contato - contato.html, fale-conosco/contato.html

 

Quando linkar para alguma página interna sua, procure usar o nome da página no link. Veja um exemplo:
<a href=”/motos/moto-titan-cg-es.html” />Moto Titan CG ES</a>

 

Fazendo desta maneira, você está deixando a página acessivel ao mecanismo de busca, e isso fará sua página ter uma posição privilegiada dos outros sites, que não fazem isto.

 

Mostramos neste artigo um pouco sobre mecanismos de busca e como fazer o básico para que os mecanismos de busca entendam melhor a sua página.

 

Google, Yahoo e MSN: Mitos e Realidades nas Meta Tags Descrição e Palavra-chave

Existem alguns mitos envolvendo as meta tags descrição e palavra-chave e os mecanismos de busca, particularmente Google, Yahoo e MSN. Vamos examinar o assunto diretamente, citando esses mitos.

Mito 1 – Se você vai otimizar uma página da web para o Google, as meta tags descrição e palavra-chave são dispensáveis.

 

Os equívos nesta assertiva são os seguintes:
-- Os mecanismos que fazem buscas na web não precisam dessas meta tags, seja Google, Yahoo, MSN ou qualquer outro, para indexar a página. A página será indexada e classificada por todos eles, com ou sem essas meta tags.
-- Os diretórios requerem uma descrição do site, mas mesmo ela não precisa, necessariamente, ser idêntica à meta tag descrição.
-- O Google reproduz, literalmente, a meta tag descrição de umas tantas páginas (os critérios são desconhecidos do público externo).

Conclusão: A meta tag descrição deve ser colocada sempre, e de forma concisa, endereçada preferencialmente ao visitante.

Mito 2 – Na meta tag palavra-chave você deve colocar todas as palavras relacionadas com os temas da página.

Os equívos nesta assertiva são os seguintes:
-- Os mecanismos de busca utilizam programas que calculam o número de vezes que cada palavra e frase aparece no centeúdo, e toma esses dados como referência para saber quais são os temas relevantes na página. Você pode saber qual é o conteúdo de uma página qualquer usando o software Linx.
-- Os mecanismos de busca não mostram, em parte alguma, as palavras listadas na meta tag palavra-chave.
-- Os pequenos diretórios solicitam listas das palavras-chave, mas limitam seu número a em torno de duzentos caracteres. Entretanto, fazem pouco uso dessas informações, haja vista que, em geral, pedem para ser indicada a categoria mais apropriada para o site em uma lista que apresentam.

Conclusão: A meta tag palavra-chave tem pouca utilidade para os mecanismos de busca; por isto deve conter apenas as palavras e frases essenciais e que sirvam, para o visitante, como mais uma referência sobre o conteúdo.

Mito 3 – As palavras-chave mais importantes devem ser repetidas na meta tag.

Os equívos nesta assertiva são os seguintes:
-- A repetição de palavras na meta tag palavra-chave não é usada pelos mecanismos de busca como critério para definir sua relevância na página.
-- A repetição de certas palavras pode ocorrer em virtude do uso de frases nesta meta tag; e deve ser parcimoniosa, para evitar que o software do mecanismo de busca a tome como tentativa de relevo artificial.

Conclusão: É perda de tempo repetir palavras na meta tag palavra-chave.

Mito 4 – Deve-se colocar as grafias erradas mais comuns das palavras na meta tag palavra-chave.

Os equívos nesta assertiva são os seguintes:
-- As palavras-chave, por definição, representam o texto e, como tal, devem estar contidas nele. Usar palavras escritas erradamente na meta tag, sem seu correspondente no texto, é uma forma de espamear a meta tag.
-- Certos erros na digitação tendem a ser menos freqüentes com o passar do tempo, com o que a meta tag e o texto ficam desatualizados.

Conclusão: É ilusão achar que a inclusão de palavras gramaticalmente erradas na meta tag palavra-chave vai aumentar o número de visitantes na página.

Mito 5 – Deve-se repetir na meta tag descrição o texto que vai na tag título.

Os equívos nesta assertiva são os seguintes:
-- Como se presume que a tag título contém as palavras que referenciam a página, sua repetição na meta tag descrição reforçaria o posicionamento da página. Isto é um engano porque os softwares não vão somando o que encontram nessas tags para fazer um balanço. O balanço é feito com todas as palavras do conteúdo da página.
-- Como alguns pensam que o Google não dá importância para esta tag, então supõem que podem repetir a tag título para atender a "exigência" do Yahoo e MSN. Pessoas que pensam e agem assim estão mirando apenas nos mecanismos de busca, tal como elas os entendem, e deixando de lado a face mais importante: o usuário. O que vemos na internet é que sites que colocam o usuário em segundo plano têm vida curta, ainda que, num primeiro momento, subam meteoricamente nos mecanismos de busca.

Conclusão: Cada página do site deve ser construída para atender, em primeiro lugar, o usuário, e isto inclui descrição objetiva da página; em segundo lugar, os requisitos formais dos mecanismos de busca.

Vê-se que a realidade é bem diversa daquilo que muitos propagam e/ou fazem nas meta tags descrição e palavra-chave.

value1

Uma metodologia de SEO em 6 procedimentos


seo_6passosEste artigo tem mesmo como fonte o laboratório da casa em Search Engine Optimization. São os 6 passos que recomendamos para a implementação de trabalho de SEO.

 

 

 

1. Pesquisa de Palavras-Chave
A palavra-chave ideal é relevante no âmbito do produto / serviço a promover, tem muitas pesquisas e pouca concorrência. Deveremos associar um máximo de 3 palavras-chave a cada página.

 

Depois de definidas as palavras-chave objectivo, é importante tirar um fotografia do status de rankings, para posterior avaliação dos progressos.

 

2. Eliminar Barreiras à Indexação
A optimização técnica passa por eliminar barreiras à indexação do site pelos motores de busca. Algumas das situações mais típicas de não indexação são páginas de acesso privado, links não interpretados (ex: Flash ou Javascript) ou páginas orfãs.
As medidas mais comuns para eliminar problemas de indexação são criar Mapas de Sites e Trilhos de Navegação HTML.
3. Optimizar Conteúdos
O title tag é talvez o parâmetro de optimização de conteúdo mais importante. Os textos da página devem casar a usabilidade e leitura dos utilizadores com a dos motores de busca. Os nomes dos ficheiros e imagens podem e devem conter palavras-chave objectivo.

 

4. Optimizar Links Internos
Os links internos são uma forma de definir uma hierarquia interna das páginas aos olhos dos motores de busca. O anchor text (texto linkado) permite realizar uma associação entre palavras-chave e a página de destino em causa. Use sempre que possível um anchor text.

 

5. Promover Links Externos

 

Os motores de busca interpretam a internet como um mega concurso de popularidade. Nem todos os links contam o mesmo para os motores de busca. O registo em directórios é apenas a forma mais fácil de gerar links externos para o nosso website, mas recorde queexistem outras formas.
6. Análise

 

É importante monitorizar a performance dos trabalhos de SEO. Para análise mais correcta e fiável deve-se evitar analisar resultados poucos dias depois de implementadas as medidas de SEO.

 

A utilização de uma ferramenta de web analytics permite analisar o impacto das medidas de SEO no bolo total de tráfego do website. Numa óptica de reciclagem e visão de longo-prazo, é também importante analisar a evolução das tendências de pesquisa.