value1

CEO do YouTube confirma serviço pago

A CEO do YouTube, Susan Wojcicki, confirmou nesta segunda-feira, 27, que o site de vídeos lançará em breve um serviço pago seguindo o formato de assinatura. A informação foi revelada durante o Code/Mobile, fórum promovido pelo Re/Code.

De acordo com Susan, o serviço ainda não está claro, mas poderia ser uma opção sem anúncios. "Atualmente, o YouTube suporta anúncios, o que é ótimo, porque permitiu nos dimensionar a um bilhão de usuários; mas vai existir um ponto onde as pessoas não querem ver os anúncios", disse ao Re/Code.

 

A executiva disse que a ideia seria que os usuários escolhessem entre assistir os anúncios ou pagar uma taxa, "o que é um modelo interessante" na visão de Wojcicki.

"Estamos pensando em outras maneiras que pode fazer sentido para nós [no YouTube]. Estamos no início desse processo, mas se você olhar para a mídia ao longo do tempo, a maioria deles têm anúncios e serviços de assinatura", explicou ainda Susan.

Questionada sobre outros tipos de assinatura, principalmente o tão prometido serviço de assinatura de músicas apelidado de "Music Key", Susan não especificou quando a novidade seria lançada e disse apenas que o YouTube está "trabalhando nisso".

Vale lembrar que, desde 2013, o YouTube oferece a opção de inscrições pagas para donos de canais, mas até agora, a ferramenta obteve pouca promoção e, consequentemente, pouca adoção.

fonte: http://olhardigital.uol.com.br/

value1

YouTube abre estúdio gratuito para produção de vídeos em São Paulo

O YouTube anunciou nesta segunda-feira, 27/10, o lançamento de um espaço especial em São Paulo para a criação de vídeos para a plataforma. O anúncio oficial aconteceu por meio do blog do Google, que é dono do YouTube desde 2006.

Chamado de YouTube Space, o local voltado para apoiar a comunidade de criadores de clipes para a plataforma segue um modelo adotado desde 2012 pela empresa em outras quatro cidades: Los Angeles, Nova York, Londres e Tóquio. 

 

Como o Brasil é o segundo país no mundo em número de acessos no YouTube, nada mais lógico que essa iniciativa também desembarcasse por aqui.

Parceria com ONG

Por aqui, o espaço do YouTube vai atuar em parceria com o Instituto Criar, que é dono do espaço físico em que o Space está instalado na capital paulista. Fundado em 2003 por Luciano Huck, a organização sem fins lucrativos tem foco em formar jovens de baixa renda em áreas técnicas da produção para TV e cinema.

Pelo acordo, os alunos da ONG, assim como criadores do YouTube no país, poderão utilizar gratuitamente os recursos disponibilizados no local, incluindo equipamentos modernos para produção e edição de conteúdo. Além disso, o YouTube Space de SP oferecerá treinamentos e cursos específicos para a área de produção audiovisual.

Como vai funcionar

De acordo com reportagem da Folha de S. Paulo, inicialmente o espaço será aberto apenas para convidados - o lançamento para o público geral deve acontecer no fim de novembro. A reserva dos equipamentos que o criador vai querer usar será feita pela web, ao acessar o site com as suas credenciais.

Números 

No total, os YouTube Spaces espalhados pelo mundo já receberam mais de 30 mil pessoas, que participaram de aproximadamente 450 workshops e produziram nada menos que 6 mil vídeos.

fonte: http://idgnow.com.br/

value1

Vídeo com decapitação de jornalista gera polêmica no YouTube

A viralização no YouTube do vídeo que mostra o jornalista americano James Foley sendo decapitado pelo Estado Islâmico gerou polêmica. Em resposta às críticas dos que condenam o material, o site declarou hoje que só retira conteúdos nestas circunstâncias quando solicitado pelos usuários.

Segundo o YouTube, os arquivos só podem ser bloqueados quando houver violação às regras da comunidade. Contas de usuários que infringirem essas normas podem sofrer suspensões e até cancelamentos.

 

Para sinalizar um vídeo como impróprio ou ofensivo, basta clicar na bandeira que fica no lado direito da janela abaixo do vídeo e definir a violação. Assim, o arquivo é analisado por uma equipe que toma a decisão de retirar do ar ou não. Se for mantido, pelo valor jornalístico ou documental, o vídeo pode ganhar um aviso de advertência de imagens chocantes ou ser proibido para faixas etárias específicas. 

Até as 14h de hoje, o YouTube já registrou mais de 67 mil pesquisas pelo nome do jornalista assassinado. Ao longo da tarde, segundo consulta da reportagem, parte dos links ficaram indisponíveis.

Confira abaixo o que o Youtube não tolera, segundo as normas do site:

 - Sexo e nudez

Só são permitidos conteúdos que tenham caráter educativo ou científico.

- Apologia ao ódio

Criticar um país é permitido, mas não são aceitos ataques a grupos baseados em raças, etnias, religiões, deficiências, sexo, idade, orientação e identidade sexual

- Vídeos chocantes e repugnantes

Conteúdos sangrentos ou violentos que tenham a intenção de chocar, como o trecho que mostra a decapitação do jornalista, não são aceitos.

- Atos perigosos e ilegais

Vídeos que incitem a violência ou encorajem atividades perigosas ou ilegais, como a elaboração de bombas e treinamentos de terroristas. A única exceção são atividades documentais e educativas.

Crianças

Vídeos com crianças que são sexualmente sugestivos e violentos não são autorizados na rede.

- Direitos autorais

Qualquer violação nos direitos autorais é condenada no YouTube.

O assunto já gerou polêmica também para o Facebook. No ano passado, a empresa declarou que conteúdos do gênero contribuem para expor abusos contra os direitos humanos e devem ser sinalizados como violentos e chocantes.

 Via BBC e YouTube

fonte.: http://olhardigital.uol.com.br/

value1

YouTube compra Directr, uma app de edição de vídeo

Com objectivo de impulsionar os esforços de publicidade, o Google, revelou que o YouTube acaba de comprar o Directr, sendo os valores da aquisição ainda desconhecidos. Todos os funcionários do Directr vão agora integrar a equipa de anúncios do YouTube.

 

O Directr é uma aplicação móvel que ajuda pequenas empresas (e não só) a criar vídeos de marketing. Permite gravar, editar e fazer upload de vídeos curtos diretamente para a Internet. O Directr está apenas disponível para a plataforma iOS.

Atualmente, o Directr não tem versão lite ou gratuita, pelo que os utilizadores precisam de pagar uma taxa para qualquer das variantes da aplicação, no entanto, o Google prometeu que todas as versões serão gratuitas, tal como o YouTube.

O Google já tem o Google My Business, que consiste em um conjunto de ferramentas para ajudar pequenas empresas a aparecer no motor de busca Google e no Google Maps, e, agora, com o Directr, mais funcionalidades serão adicionadas, ajudando ainda mais pequenas empresas a publicitar utilizando os serviços Google.

Veja o vídeo promocional:

{media load=media,id=345,width=200,align=left,display=inline}

fonte: http://www.tecnologia.com.pt

value1

Brasileiros são os que mais assistem a vídeos no YouTube

Estão no Brasil as pessoas que mais consomem vídeos do YouTube, segundo a gerente de parcerias estratégicas do site, Amy Singer, que esteve no Brasil durante o 9º Congresso Internacional de Jornalismo Investigativo.

A executiva não especificou de quanto conteúdo falava, mas revelou que a cada minuto o YouTube é responsável pelo upload de 100 horas de vídeo para a internet.

 

Conforme noticiado pela EFE, parte do aumento na quantidade de material publicado se deve a parcerias que o YouTube tem fechado com canais informativos, a exemplo do Vice News, da Vice Media, que inclusive está formando uma equipe no Brasil.

É um dos canais que estão fazendo sucesso, segundo Amy, porque ele compreende que as pessoas preferem conteúdo mais próximo e menos editado. "Este novo canal está crescendo mais rapidamente porque abarca um conceito de 'não barreiras', novos formatos e nova maneira de interagir com as pessoas", comentou.

Sterling Proffer, representante da Vice, opinou que a internet vive o período "Face News", com as pessoas se informando pela linha do tempo do Facebook, e não pelos jornais impressos ou seus respectivos sites. E que há muitas fontes de conteúdo: "As pessoas escolhem um buffet self-service de notícias, em que servem-se de uma coletânea de notícias de fontes diferentes."

fonte: http://olhardigital.uol.com.br/

value1

Conheça os canais que mais fazem dinheiro no YouTube

youtube-dinheroÉ um fato consumado: há canais arrecadando muito dinheiro com seus vídeos no YouTube. O site de vídeos do Google cada vez mais se ganha contornos de uma mídia rentável para entretenimento para quem está disposto a oferecer um trabalho de qualidade.

Os mais populares são capazes de chegar à casa dos milhões ao fim de um ano, como demonstra um relatório da empresa SocialBlade, que listou os principais canais brasileiros na rede, e a estimativa de arrecadação.

1. Porta dos fundos
7,1 milhões de inscritos
Até US$ 305 mil por mês

2. Galinha Pintadinha
2,1 milhões de inscritos
Até US$ 212,5 mil por mês

3. Parafernalha 
4,2 milhões de inscritos 
Até 97,3 mil por mês 

4. VenomExtreme
2,7 milhões de inscritos
Até US$ 89,3 mil por mês

5. Galo Frito 
4,7 milhões de inscritos
Até US$ 85,1 mil por mês

6. RandonsPlays
2,4 milhões de inscritos
Até US$ 37,7 mil por mês

7. Mundo Canibal
2,7 milhões de inscritos
Até US$ 33,4 mil por mês

8. 5inco Minutos
2,6 milhões de inscritos
Até US$ 18,2 mil por mês

9. Desce a Letra
2,4 milhões de inscritos
Até US$ 7,1 mil por mês

10. Felipe Neto
2,7 milhões de inscritos
Até US$ 6,1 mil por mês
 
Via YouPix e SocialBlade 

fonte: http://olhardigital.uol.com.br/

value1

YouTube lança programa com os melhores vídeos do dia

youtubeTem vídeo demais no YouTube, tantos que fica até difícil decidir o que assistir no site porque não há como saber o que apareceu de legal por lá periodicamente. Foi por isso que eles criaram um programa diário de curadoria, o YouTube Nation.

 

Feito pela DreamWorks, o programa é apresentado por Jacob Soboroff todos os dias, à meia-noite - no horário de Brasília.

YouTube Nation é feito por um time de criativos que mostram o que aconteceu de interessante no site durante o dia. No episódio abaixo, além de Soboroff, a atração conta com particioação de Josh Rubin, produtor do Buzzfeed. Confira:

 {media load=media,id=300,width=200,align=left,display=inline}

fonte: http://olhardigital.uol.com.br/

value1

Google lança YouTube EDU no Brasil, em parceria com a Fundação Lemann

youtube-eduCuradoria de conteúdo está em alta, e a própria equipe do Youtube no país anda fazendoincursões na área, depois de ter percebido que a chancela da própria equipe e de parceiros tem ajudado a aumentar o acesso a determinados canais. Foi assim com a Semana da Comédia, que reuniu as maiores feras do humor.

E será assim no YouTube EDU, iniciativa inspirada no canal já existente nos Estados Unidos, que aqui contará com o trabalho de profissionais coordenados pela Fundação Lemann para selecionar e organizar os milhares de vídeos já disponibilizados pelo Youtube na categoria Educação, uma das que mais cresce em audiência, segundo Flavia Simon, Diretora de Marketing do Google Brasil. "São, ao todo, cerca de 250 canais e 93 mil vídeos no Brasil", diz ela.

No ar desde a manhã desta quinta-feira, 21/10, em www.youtube.com/edu, a plataforma já oferece 8 mil vídeos selecionados, de 26 canais educacionais de grande popularidade, como o Khan Academy, o Vestibulândia  e o Biologia Total. Todos gratuitos, direcionados a estudantes do ensino médio, agrupados em cinco disciplinas, incialmente: Biologia, Física, Química, Matemática e Língua Portuguesa. Cada uma delas cobrindo poucos temas.. Em Biologia, por exemplo, já estão disponíveis videoaulas sobre Evolução, Genética, Saúde, Seres vivos e Ecologia. Em Física, Calor e Termodinâmica, Mecânica, Metodologias. Física Moderna e Eletricidade e Magnetismo.

A intenção é, já em 2014, cobrir todas as disciplinas do ensino médio e estender a curadoria para conteúdos dirigidos ao ensino fundamental e ao ensino superior. O Google  procura inclusive novos parceiros _ cursinhos, colégios e universidades que tenham conteúdo próprio ou interesse em transpor para o português o conteúdo das aulas em vídeo disponibilizados pelas universidades americanas no Youtube EDU, lá nos EUA, desde 2009.

A intenção do Google e da Fundação Lemann é contribuir para a disseminação do conhecimento, rompendo não só os limites da sala de aula, como de outras fronteiras físicas de tempo e espaço. Não há nenhum tipo de filtro quanto à didática usada. O único veto explícito é a conteúdos e posturas incorretas (piadas, por exemplo, são permitidas, desde de que prevaleça o bom senso).

"Cada um tem uma forma de ensinar e um jeito de aprender. O grande diferencial da plataforma é justamente possibilitar que as pessoas escolham o professor que melhor se adapta ao seu perfil", explica Denis Mizne, diretor executivo da Fundação Lemann. Motivo pelo qual, durante a avaliação, os 16 profissionais coordenados pelos professores Marcelo Knobel, da Unicamp, e João Luís de Almeida, do Poliedro, tiveram que criar uma metodologia própria de avaliação.

Um dos primeiros desafios da equipe de curadores, em agosto deste ano, quando teve início o trabalho, foi estabelecer parâmetros para avaliar uma "boa aula".  O que eles decidiram fazer foi criar um formulário padrão para avaliar aspectos da aula, começando pela correção do conteúdo abordado. Desse trabalho inicial, os curadores chegaram a uma lista de 15 critérios para definir uma boa aula em vídeo, que serão sistematizados pelo Youtube e a Fundação Lemann e disponibilizados para os professores que desejarem ingressar nesse mundo. Entre eles, estão o respeito do professor ao seu próprio estilo, um bom planejamento do conteúdo que se deseja passar e como, qualidade técnica apurada (som e imagem) e preocupação com o ambiente na hora da produção do vídeo.

"Cada vídeo assistido, seja de 10 ou de 30 minutos, leva mais de duas horas para ser avaliado", comenta Marcelo Knobel. Outros quatro mil vídeos já passaram pelo crivo dos curadores e esperam para serem disponibilizados na plataforma.

Um dos maiores objetivos perseguidos pelo Google e a Fundação Lemann é estimular mais e mais professores brasileiros a produzirem conteúdo educacional de qualidade e a usarem o alcance e o caráter democrático da Internet para levar boas aulas a estudantes de todas as idades, locais e classes sociais.

Qualquer professor pode encaminhar suas aulas em vídeo para avaliação da equipe de curadores. Para ser aprovado, precisa inicialmente ter regularidade na produção de conteúdo e dominar claramente o conteúdo abordado. A chancela é dada ao professor, dono do canal. Uma vez aprovado, ele terá novos vídeos publicados automaticamente, naquela disciplina. "É impossível curar aula a alua. E como o usuário é muito ágil em reportar erros através da própria ferramenta do Youtube, só vamos avaliar novamente o professor se ele decidir trabalhar com uma nova disciplina, diferente daquela avaliada anteriormente", explicou Mizne.

Também é intenção do Google que os conteúdos do YouTube EDU sejam usados por outros professores em sala de aula. Para ver como educadores estão incorporando vídeos em suas aulas, confira youtube.com/teachers. Lá os professores encontrarão centenas de listas de reprodução de ensino prontas para a sala de aula, a chance de apresentar suas próprias listas e as informações sobre como aproveitar o YouTube como recurso educativo.

Veja abaixo o vídeo que explica o projeto.

 

fonte: http://idgnow.uol.com.br/

value1

YouTube cria Biblioteca de Áudio com 150 mil músicas disponíveis para download

biblioteca-youtubeHá mudança no ar no YouTube. O site acaba de inaugurar um extenso acervo cheio de música instrumental gratuita que os utilizadores podem utilizar para dar som a um projeto ou remisturar, por exemplo.

O projeto chama-se Biblioteca de Áudio e pode conhecê-lo melhor aqui. O objetivo do YouTube fica bem claro quando lê a simples mensagem de boas-vindas do acervo: “transfira gratuitamente música de fundo para os seus vídeos”, mas não só.

 

A biblioteca conta com cerca de 150 mil músicas de quase todos os géneros e criadas por artistas de todo o mundo. Os downloads podem ser feitos em versão MP3  de alta qualidade (320 Kbits por segundo). A partir daí, o utilizador pode usar a música para fazer o que lhe apetecer.

Para usufruir do serviço ao máximo, basta ter uma conta no YouTube. Além disso, o site convida todos os músicos que queiram contribuir para o acervo a enviar as suas criações.

fonte: http://www.tecnologia.com.pt

value1

Sistema de comentários do YouTube ficará inteligente

youtubenovoO YouTube reconheceu que seu sistema de comentários não é bom e resolveu mudá-lo com ajuda do Google+. Ao anunciar as novidades, a empresa diz ter entendido que os comentários mais recentes não são necessariamente os mais relevantes.

 

Hoje o site já dá preferência a quem tem os apontamentos mais curtidos por outros usuários. Isso continuará acontecendo, mas de uma forma personalizada, pois comentários de quem importa para o internauta serão destacados - algo que já acontece no Facebook, em que são mostrados primeiro as opiniões dos contatos.

Além disso, será possível iniciar uma discussão de forma privada, optando por mostrá-la apenas aos contatos próximos, aos Crculos do G+ ou a todos da rede social e do YouTube.

Quem publica conteúdo ganhará ainda ferramentas para controlar melhor essa área, decidindo quem pode e quem não pode falar, bloqueando certas palavras e até aprovando automaticamente comentários de certos usuários.

Tudo isso começa a ser liberado na semana que vem e a implementação deve ser concluída até o final do ano. Você pode conferir a imagem abaixo para entender como vai ficar ou dar uma olhada neste perfil.

kidpresident

fonte: http://olhardigital.uol.com.br/